Matosinhos

Cratera e gincana testam os nervos em Leça do Balio

Almiro Ferreira

Moradores há meses que têm de contornar buraco para entrar na garagem

Foto Ivo Pereira / Global Imagens

Após quatro meses de queixas dos moradores, Câmara adjudica reparação das condutas de águas fluviais e repavimentação completa da rua.

Os residentes da Travessa Elaine Sanceau, em Leça do Balio, têm prometida para breve a resolução do que ao longo dos últimos quatro meses foram denunciando como um "buraco enorme, perigoso para automóveis e transeuntes", em pleno eixo da rua que circunda a igreja paroquial do Padrão da Légua. A solução foi apontada na terça-feira, na última reunião da Câmara Municipal de Matosinhos, que aprovou e adjudicou a obra de reabilitação de toda a artéria. Em maio, quando o problema foi detetado, os moradores assistiram ao que consideraram "um enorme aparato", com a chegada de bombeiros, polícia e carrinhas da proteção civil. Diagnóstico: rutura e obstrução de coletores de águas pluviais. Tratamento primário: isolamento do buraco com barreiras da proteção civil. "O asfalto já tinha abatido. Contudo, o que inicialmente era um buraco pequeno foi alargado pela intervenção da Câmara", diz Rui Meireles. Este morador passou então os últimos meses a ter de contornar "uma cratera" de dois metros de diâmetro e semelhante profundidade para poder aceder à garagem do prédio. O obstáculo obriga igual gincana aos moradores dos restantes vinte condóminos e a todos os automobilistas que passam pela artéria, "muito movimentada". "Isto é perigoso. Até porque é um local também muito frequentado por crianças dos dois ATL aqui instalados", afirma Rui Meireles, que fez uma reclamação à Loja do Munícipe. "Foi no início deste mês. Recebi o comprovativo do registo da queixa no dia 3, mas, desde então, não obtive mais nenhuma informação", conta o mesmo residente. Três semanas antes dessa reclamação, exatamente a 11 de agosto, já outra moradora tinha participado a anomalia à Câmara. A resposta do município chegou dias depois: "[...] para solucionar o problema exposto, a Autarquia lançou um procedimento por empreitada para todo o arruamento"; "o procedimento já se encontra autorizado, sendo iniciada em breve a obra".

Empreitada para três meses

O impulso definitivo foi dado na última reunião da Câmara, que aprovou e adjudicou a obra de reabilitação das redes pluviais e de repavimentação da total da rua. Preço é de 393 mil euros, acrescidos de IVA e prazo de execução de 120 dias. "Os moradores estão informados dos procedimentos em curso, como atesta o ofício que foi enviado a uma das moradoras, que apresentou uma exposição", disse ao JN fonte da Câmara de Matosinhos.

"Agora com as eleições, dizíamos entre nós, a brincar, que isto não ia demorar muito, mas não foi assim...", observa outro residente, André Nicola, frequentemente chamado a servir de "sinaleiro" para a entrada dos carros lá em casa.