Indústria

Área Metropolitana do Porto na comissão que avaliará fecho da Petrogal

Área Metropolitana do Porto na comissão que avaliará fecho da Petrogal

A Área Metropolitana do Porto vai integrar o conselho consultivo criado pelo município de Matosinhos para avaliar o encerramento da refinaria da Galp em Leça da Palmeira.

"Tivemos um convite do município de Matosinhos para participar na comissão de acompanhamento do encerramento da refinaria, tendo ficando assente que, como presidente [do Conselho Metropolitano do Porto], participaria, atendendo ao impacto do processo na região", revelou Eduardo Vítor Rodrigues, na sequência da reunião do Conselho Metropolitano realizada na manhã desta sexta-feira.

A criação deste conselho consultivo e de um grupo trabalho especializado foi anunciada no início deste mês pela presidente da Câmara de Matosinhos, Luísa Salgueiro. A Galp anunciou em dezembro a intenção de concentrar as suas operações de refinação em Sines e descontinuar a refinação em Matosinhos neste ano, decisão que põe em causa 500 postos de trabalho diretos e 1000 indiretos.

"Na verdade, independentemente de ninguém conseguir perceber se os trabalhadores são de Matosinhos, ou de Gaia ou de Porto - o que interessa é que há um impacto em número de postos de trabalho, um impacto económico e sobretudo há uma incerteza sobre o futuro", disse Eduardo Vítor Rodrigues, citado pela Lusa, destacando os receios ambientais envoltos numa eventual exploração de lítio ou hidrogénio.

O também presidente da Câmara de Gaia reconheceu, contudo, que esta é uma decisão dos privados, sendo que o papel da Comissão Técnica será o de sensibilizar o Governo para que se envolva neste processo. "Como disse o presidente [da Câmara do Porto] Rui Moreira: o que era necessário para o Governo se envolver é muito menos do que já pagou para a TAP e a refinaria é um ativo estratégico que serve a região se calhar mais do que a TAP", rematou.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG