Matosinhos

Galp investiga causas de explosão na refinaria de Matosinhos

Galp investiga causas de explosão na refinaria de Matosinhos

Uma forte explosão seguida de um incêndio rapidamente controlado foi registada, na madrugada desta quinta-feira, na refinaria da Petrogal, em Leça da Palmeira, Matosinhos. O fogo foi controlado pelas equipas da própria empresa e não há indicações de qualquer vítima. A Galp indica que "está em curso uma investigação para apurar as circunstâncias que conduziram a este incidente". Veja o vídeo.

A explosão, sentida alguns quilómetros em redor da refinaria, ocorreu à 01.40 horas. Em comunicado, divulgado esta quinta-feira de manhã, a Galp confirma "um incidente num reservatório da Refinaria de Matosinhos, de onde resultou um foco de incêndio", mais precisamente "num tanque de acumulação de águas".

A empresa salienta que o incêndio foi "prontamente extinto pelos meios internos" e que "as condições de funcionamento da instalação não foram afectadas".

A Galp indica ainda que "está em curso uma investigação para apurar as circunstâncias que conduziram a este incidente", garantindo que as instalações da refinaria de Matosinhos "cumprem as normas e as melhores práticas internacionais" em termos de segurança.

Mário Rebelo, que trabalha num parque de camiões na rua de Almeiriga, perto do local do incidente, afirmou que a explosão desta madrugada foi uma das mais fortes que já assistiu na refinaria em vários anos: "Muito mais forte do que aquela que deixou o mar a arder e em que morreram pescadores".

No bar do Kartódromo do Cabo do Mundo a explosão partiu alguns vidros, relatou Pedro Sousa, que ali se encontrava com um grupo de amigos.

Após a explosão, muitas pessoas começaram a chegar ao local tendo ainda avistado uma coluna de fogo que lentamente foi diminuindo. A partir da rua era possível ver pelo menos um veículo de bombeiros e várias pessoas equipadas com fatos de protecção que ali permaneciam mesmo quando a situação aparentava já estar normalizada.

PUB

A explosão levou várias pessoas a telefonarem para a PSP e para os bombeiros. Estes últimos confirmaram ao JN que estavam de prevenção mas que não tinham sido chamados e desconheciam o que se passava na refinaria da Petrogal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG