Matosinhos

INEM admite que queria reencaminhar doente que morreu para a linha Saúde 24

INEM admite que queria reencaminhar doente que morreu para a linha Saúde 24

O INEM recebeu uma chamada na quarta-feira por causa de um homem que estava a sentir fortes dores abdominais e falta de ar, em Matosinhos. Após a triagem, o Instituto Nacional de Emergência Médica queria reencaminhar a chamada para a linha de saúde 24, mas a contactante, que não era o doente, recusou e disse que iria chamar um táxi. O homem acabaria por morrer no local.

Joaquim Ribeiro, de 58 anos, começou a sentir fortes dores abdominais e falta de ar, na quarta-feira, junto de uma padaria na Senhora da Hora, em Matosinhos. A vê-lo em aflição, Miriam Sousa, empregada do estabelecimento, ligou para o 112. Após a triagem, o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM queria reencaminhar a situação para a linha de saúde 24, mas Miriam "recusou a transferência da chamada para o SNS24 e informou que iria chamar um táxi", revela o Instituto Nacional de Emergência Médica, em comunicado.

Segundo foi revelado esta sexta-feira, foi o INEM que aconselhou a empregada do estabelecimento a chamar um táxi, caso quisesse levar o homem ao hospital. No entanto, o INEM nega que "o CODU tenha sugerido que o utente "apanhasse um táxi"".

PUB

"Às 15.33 horas e às 15.39 horas, o CODU recebeu novas chamadas sobre a mesma situação que deram conta do agravamento do estado de saúde da vítima. O CODU acionou a Ambulância dos BV Leça do Balio e a Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER) do Hospital de São João" pode ler-se ainda no comunicado.

A vítima entrou em paragem cardiorrespiratória e o óbito foi declarado no local pela equipa da VMER. A PSP também foi chamada para a ocorrência.

O INEM já abriu um inquérito para apurar as circunstâncias em que decorreram a assistência médica pré-hospitalar ao utente.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG