Avaria

Junta pede explicações sobre interdição da ponte móvel de Leixões

Junta pede explicações sobre interdição da ponte móvel de Leixões

A Junta de Freguesia de Matosinhos-Leça da Palmeira pediu, esta terça-feira, explicações à APDL acerca da avaria na ponte móvel do Porto de Leixões, que interdita o acesso a carros e peões, e defendeu a necessidade da construção de uma "terceira travessia".

Em comunicado, a Junta de Freguesia faz saber que "já solicitou explicações sobre o sucedido, designadamente, a propósito do motivo da avaria e período de interdição da circulação automóvel e pedonal".

A avaria e a interdição foram anunciadas esta terça-feira, à tarde, mas não foi adiantada uma data, nem previsão, para a reabertura da ponte móvel.

"Compreendemos a necessidade de executar ações de manutenção e conservação, desde que sejam agendadas, de carácter preventivo e céleres. A verdade é que os nossos concidadãos não podem ficar sem alternativa de atravessamento pedonal ou com as suas vidas profundamente prejudicadas pelos sucessivos e demorados encerramentos da ponte móvel", sublinhou Pedro Sousa, presidente da Junta de Freguesia de Matosinhos-Leça da Palmeira.

O autarca salvaguarda que na sequência do ofício dirigido à Administração dos Portos do Douro, Leixões, e Viana do Castelo, APDL, "o senhor presidente do conselho de administração, Nuno Araújo, teve já o cuidado de responder, de imediato, e informar que se tratará de uma situação imprevista e que já foram acionados todos os procedimentos de contingência".

A propósito, é lembrado que "ao longo dos últimos dez anos, a Junta e Assembleia de Freguesia já debateram e defenderam, por várias vezes, a necessidade da construção de uma 'terceira travessia' (além da ponte móvel e ponte grande na A28) e o respetivo alargamento da A28 entre Matosinhos e a rotunda AEP, por forma a libertar o centro da cidade do excesso de viaturas que, diariamente, a atravessam em direção a concelhos situados a Sul ou a Norte".

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG