Coronavírus

Lar de Matosinhos com 31 idosos infetados com Covid-19

Lar de Matosinhos com 31 idosos infetados com Covid-19

Um terço dos utentes do Lar Mãe de Jesus, em Matosinhos, testaram positivo à Covid-19, mas apenas seis estão hospitalizados. Os outros estão no interior do lar, assim como os funcionários ainda por rastrear.

O Lar Mãe de Jesus, pertencente ao Centro Social e paroquial do Padrão da Légua, em Leça do Balio, Matosinhos, tem 31 idosos infetados com Covid-19. Trata-se de um terço do total de utentes do lar, estando seis idosos hospitalizados, quatro ainda à espera de resultados de testes, assim como todos os funcionários que só serão rastreados na próxima quinta e sexta-feira. O pároco local e responsável pelo espaço fala numa "situação muito complicada" onde até faltam equipamentos de proteção individual.

"O mais importante é encontrar uma solução, pelo menos encaminhar as pessoas infetadas para locais onde possam ser tratadas e em isolamento", afirma o padre Joaquim Mário que já falou sobre a "dramática situação" com a presidente da autarquia de Matosinhos, Luísa Salgueiro, também ela infetada com o novo coronavírus.

A média de idades dos utentes do lar é de 86 anos, tendo alguns idosos mais de cem. Os primeiros casos de idosos com sintomas surgiram na semana passada, tentaram de imediato alertar as autoridades mas, segundo o padre Joaquim Mário, tanto através da linha da saúde 24 como da delegação de saúde não foi possível ter apoio imediato. "Estiveram aqui mais de 24 horas sem fazerem testes", conta.

Os idosos acabaram por ser testados apenas no sábado, ficando de fora os funcionários, cerca de 50, a quem foram entregues pela autoridade de saúde guias para a realização dos exames, o que só vão acontecer quase no final da semana. Do total de funcionários apenas 30 se encontram ao serviço. "Estamos a tratar da situação o melhor possível mas precisamos de uma solução" afirma o responsável para quem o ideal era colocar os idosos "numa das unidades hoteleiras agora vazias sem turistas, com quartos e casas de banho individuais".

A Câmara de Matosinhos afirma que está a acompanhar o caso, dando "apoio de retaguarda", mas acrescenta que a resolução destes problemas cabe à Segurança Social e Delegação de Saúde. O município refere que o hospital local tem dado uma "resposta positiva", tendo a autarquia já "prevista a utilização de uma unidade hoteleira no concelho que poderá receber idosos".

Delegado de Saúde garante: "Resposta foi célere"

"As referências à delegação de saúde são falsas e atentatórias dos princípios éticos com que nos regemos e da prática por nós observada no que concerne à intervenção neste lar", assegurou Jaime Baptista, delegado de saúde coordenador de Matosinhos, numa carta enviada ao JN.

"A resposta foi célere na caracterização da situação e na definição da resposta integrada, tendo esta unidade dinamizado a intervenção das outras estruturas referidas", lê-se no documento.

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG