Municípios

Matosinhos quer arrendamento acessível a partir de habitação privada

Matosinhos quer arrendamento acessível a partir de habitação privada

A presidente da Câmara de Matosinhos pretende comparticipar na adaptação de alojamento local e habitação privada para disponibilidade no mercado de arrendamento acessível, dando resposta às dificuldades existentes no acesso a domicílios.

Luísa Salgueiro, que falava esta quinta-feira na conferência online "Desafios da Habitação Pós-Pandemia", inserido na rubrica "Matosinhos à Conversa", recordou o investimento de 16 milhões de euros, em conjunto com a MatosinhosHabit, "na requalificação do parque habitacional do concelho, o que permitirá melhorar as condições de habitabilidade e aumentar a oferta de habitações municipais disponíveis localmente".

Em comunicado, a Câmara de Matosinhos acrescenta que a antiga deputada na Assembleia da República Helena Roseta assinalou estar a sociedade "perante um desafio que obriga a olhar para a frente de outra maneira", propondo, por isso, a "reinvenção da forma como se trabalham as questões relacionadas com a habitação".

"Precisamos de uma nova Lei do Arrendamento Urbano", afirmou a também arquiteta na iniciativa, citada pela autarquia, reforçando a importância de "segmentar o mercado de arrendamento, com uma faixa de oferta acessível, canalizando assim os benefícios fiscais para esta resposta".

Na sua intervenção, a presidente da Assembleia Municipal de Matosinhos, Palmira Macedo, abordou as diversas fases da atual pandemia, estabelecendo o paralelismo com o passado da habitação e a necessidade de adaptar a funcionalidade dos alojamentos para o futuro.

Palmira Macedo, segundo o comunicado, sugeriu também que os desafios pós-surto "devem incentivar toda a criatividade dos momentos de crise".

Durante o debate, moderado pelo presidente da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP), Luís Lima, foi ainda lançado por Helena Roseta o desafio para a criação do Conselho Nacional da Habitação, apelando-se "à necessidade de uma aposta na capacidade dos jovens no sentido de inovar e criar novas estratégias para as políticas públicas da habitação do nosso país".

A webinar "Desafios da Habitação Pós-Pandemia", que decorreu em direto na página de Facebook da autarquia matosinhense, alcançou um total de 29.500 pessoas, tendo originado 4900 interações, complementa a nota de imprensa.

Outras Notícias