Matosinhos

Ramirez com 13 funcionários infetados fecha entre o Natal e Ano Novo

Ramirez com 13 funcionários infetados fecha entre o Natal e Ano Novo

O administrador da fábrica de Conservas Ramirez, em Matosinhos, revelou, esta terça-feira, que estão confirmados 13 casos de covid-19 na conserveira e que o surto teve origem num jantar "entre alguns funcionários e pessoas externas".

Segundo o administrador, o surto foi detetado depois de um funcionário da conserveira ter apresentado sintomas, "situação que foi logo comunicada ao delegado de saúde" e que resultou na testagem dos 220 funcionários no dia 07 de dezembro.

"Foram detetados 11 casos de covid-19 e todas as pessoas estavam vacinadas", afirmou, acrescentando que mais tarde outras duas pessoas deram positivo. Para evitar que mais pessoas sejam contagiadas, a empresa vai fechar na semana entre o Natal e o Ano Novo.

Manuel Ramirez recusa ainda a informação do Sindicato dos Trab. da Agricultura e das Ind. de Alimentação, Bebidas e Tabacos de Portugal, que daria conta de mais de 30 infetados na fábrica.

Numa nota enviada ontem, o SINTAB refere, tendo por base uma denúncia feita por trabalhadores da conserveira, que "o número de casos confirmados é já superior a 30".

Em Portugal, desde março de 2020, morreram 18.673 pessoas e foram contabilizados 1.196.602 casos de infeção, segundo dados da Direção-Geral da Saúde.

PUB

A doença respiratória é provocada pelo coronavírus SARS-CoV-2, detetado no final de 2019 em Wuhan, cidade do centro da China, e atualmente com variantes identificadas em vários países.

Uma nova variante, a Ómicron, classificada como "preocupante" pela Organização Mundial da Saúde (OMS), foi detetada na África Austral, mas desde que as autoridades sanitárias sul-africanas deram o alerta, a 24 de novembro, foram notificadas infeções em pelo menos 57 países de todos os continentes, incluindo Portugal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG