Autárquicas

Paredes: junta de Cristelo empata e aguarda decisão do tribunal

Carlos Franclim, candidato do PSD/CDS e atual presidente da junta, e José Rodrigues, do PS

Foto Dr

As eleições autárquicas na Junta de Freguesia de Cristelo em Paredes acabaram com um inusual empate entre as candidaturas do PSD/CDS-PP e do PS. As duas listas conseguiram 48,34% da votação, o que representa 553 votos. A esses somam-se os 1,57% conseguidos pelo PCP-PEV (18 votos), 1,14% (13 votos) em branco e 0,61% (sete votos) nulos.

A situação foi para Tribunal. A assembleia geral de apuramento deve acontecer na terça-feira.

"Devido ao inusual empate, ficaremos a aguardar a decisão do tribunal. Mas ao que tudo indica, haverá novas eleições brevemente", informou o ainda presidente da Junta e recandidato pelo PSD/CDS-PP, Carlos Franclim, através das redes sociais da freguesia. "Os votos foram recolhidos pela GNR e ficaremos a aguardar a decisão do tribunal, que será revelada nos próximos dias", referia ainda na comunicação à população.

Contactado pelo JN, o candidato do PS, José Rodrigues, explica que a sua candidatura chegou a comemorar a vitória, porque as primeiras informações que recebeu davam conta de uma vantagem na votação. Mas terminada a contagem e três recontagens depois foi declarado o empate. "Acredito que o tribunal vai decidir e não vai haver novas eleições", espera o candidato, que guarda esperança na reanálise dos votos nulos.

Já Carlos Franclim salienta que o processo eleitoral decorreu normalmente e que as atas foram aprovadas por "unanimidade" entre as partes, assumindo o empate, assim como a contagem do número de votos válidos, brancos e nulos. "Será o tribunal a decidir o que fazer a seguir", sustenta, mas acredita que a situação será resolvida com eleições antecipadas. O autarca e recandidato confirma que por terem havido festejos da candidatura contrária e alguns desacatos a GNR foi chamada ao local na noite eleitoral.