Óbito

Morreu o antigo presidente da Câmara de Paredes Jorge Malheiro

Morreu o antigo presidente da Câmara de Paredes Jorge Malheiro

Jorge Malheiro, que liderou os destinos da Câmara de Paredes entre agosto de 1977 a dezembro de 1993, sendo o presidente da câmara que mais tempo esteve em funções, faleceu aos 79 anos.

O Município já veio a público expressar condolências e decretar três dias de luto municipal, a cumprir hoje, amanhã e depois (dias 14, 15 e 16). A bandeira dos edifícios municipais será colocada a meia haste. Jorge Malheiro foi o segundo a presidir à Autarquia de Paredes depois do 25 de abril de 1974.

Foi o dinamizador do CDS-PP em Paredes, tornando-se o primeiro presidente da Comissão Política Concelhia. Concorreu à Câmara Municipal de Paredes em 1976, integrado, como número dois, na lista do CDS que ganhou as eleições. A 19 de agosto de 1977, por resignação de Francisco Ribeiro da Mota, assumiu o cargo de presidente da Câmara Municipal, tendo-se mantido no cargo nos dois mandatos subsequentes, até ao final de 1993.

Na sua gestão autárquica foi responsável por várias obras que contribuíram para o desenvolvimento do concelho, desde logo pelo projeto de saneamento da vila de Paredes, pela elevação de Paredes a Cidade, pela remodelação e ampliação do edifício dos Paços do Concelho, pelas obras de alargamento e melhoramento em vários cemitérios, pela construção de arruamentos por todo o concelho, pela infraestruturação de diversos equipamentos escolares e pela remodelação da rede de distribuição de energia elétrica em várias freguesias.

A par disso, foi também sob a sua gestão que se avançou com a construção da ETAR de Paredes, a construção do bairro O Sonho, a instalação de um núcleo da delegação da Cruz Vermelha em Paredes, a implantação da CESPU em Paredes ou com a compra de 18 mil metros quadrados destinados ao Parque da Cidade de Paredes.

Recebeu, em 2015 a Chave de Honra do Município de Paredes. Em 2017, pelos vários avanços que conseguiu em prol do concelho, o seu nome foi atribuído a uma rotunda da cidade e à piscina municipal, a primeira a ser construída na região.

"Não sei se mereço [a homenagem], mas sei que foi neste espaço público que dei de mim o melhor que soube e pude. Foi uma honra dedicar uma vida à causa e coisa pública e ter servido a minha terra", disse Jorge Malheiro na altura

PUB

O horário do funeral ainda não está definido mas devido às recomendações em vigor da Direção-Geral de Saúde, as cerimónias das exéquias fúnebres serão reservadas somente aos familiares diretos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG