Bombeiros

Novo quartel em Paredes foi prenda de aniversário

Novo quartel em Paredes foi prenda de aniversário

Os Bombeiros Voluntários de Lordelo, em Paredes, inauguraram, este sábado, durante as cerimónias do 52.º aniversário, o novo quartel, um edifício "construído de raiz, estudado ao pormenor e ajustado às necessidades da corporação". O investimento foi de dois milhões de euros e a cerimónia contou com o ministro da Administração Interna, José Luís Carneiro.

Com melhores acessos, o novo espaço dá "condições dignas" aos bombeiros, sobretudo pelas camaratas femininas e masculinas ajustadas e pelo facto de conseguir albergar todos os veículos da associação humanitária. "Conseguem sair 24 veículos ao mesmo tempo", salientou o comandante da corporação, José Freitas.

A obra, que nasceu junto ao quartel da GNR, custou cerca de dois milhões de euros e vai beneficiar os 97 elementos do corpo ativo, mas também a escola de infantes e cadetes, a fanfarra e os bombeiros do quadro de honra, num total de 170 elementos.

O novo quartel nasceu nos anos da pandemia. Miguel Ferreira, presidente da direção, afirmou que foi um trabalho conjunto com o comando. A associação humanitária, que serve cerca de 15 mil pessoas das freguesias de Lordelo, Vilela e Duas Igrejas, tem agora "capacidade de intervenção acrescida, com mais meios e segurança", referiu.

Entre os grandes apoiantes da obra, alvo de agradecimento, estão a Câmara de Paredes, a Junta de Freguesia de Lordelo e várias empresas. Também uma cooperativa de eletrificação.

O presidente da Autarquia, Alexandre Almeida, realçou que, para criar condições, nos últimos anos, o Município concedeu aos bombeiros e às delegações da Cruz Vermelha cerca de 3,4 milhões de euros, em subsídios e apoios para obras e viaturas.

Mesmo assim foi pedido ao ministro da Administração Interna, que inaugurou o quartel, mais investimentos, através do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR) ou de fundos comunitários. José Morais, da Federação de Bombeiros do Distrito do Porto, deixou um apelo idêntico: "A maior preocupação é o envelhecimento dos veículos operacionais. Precisam de substituição".

PUB

O ministro José Luís Carneiro lembrou que o PRR prevê uma verba de 20 milhões de euros para aquisição de 81 veículos florestais, equipamentos de proteção individual e formação de 3300 agentes de proteção civil até 2023.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG