Exclusivo

Paredes tem falta de mão de obra e quer jovens na indústria

Paredes tem falta de mão de obra e quer jovens na indústria

Projeto aproxima escolas das empresas e desmistifica ideia de que as fábricas são "sujas e pesadas", garantindo salários acima da média.

"Não precisamos todos de ter "canudo", temos é de aprender todos os dias". Esta foi uma das mensagens que um grupo de 60 alunos de Paredes ouviu dos profissionais de uma metalomecânica de Lordelo. Numa altura em que há empresas do concelho que não conseguem arranjar mão de obra, a Câmara, a associação empresarial e as escolas uniram-se para quebrar estereótipos e preconceitos e mostrar aos alunos que as indústrias não são "sujas, duras e pesadas", sendo que muitas já apostam em tecnologia de ponta, têm "salários acima da média" e podem ser alternativa na hora de escolher uma profissão.

"Temos 84 funcionários, mas teria trabalho para 200 pessoas", testemunha o empresário José Machado, falando de uma realidade que afeta grande parte dos industriais do concelho. "Há falta de mão de obra, sobretudo qualificada. Os jovens não querem este tipo de trabalho, pensam que é sujo, duro e pesado. Hoje em dia, nada disso é verdade. Há equipamentos para quase tudo", sustenta o dono da Inovocorte.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG