O Jogo ao Vivo

Política

Resgate da concessão de água gera protesto em Paredes

Resgate da concessão de água gera protesto em Paredes

PSD de Paredes abandona reunião da Assembleia Municipal.

Em protesto contra a forma "arrogante e prepotente" com que a maioria socialista da Câmara de Paredes está a gerir o resgate da concessão de água, os eleitos sociais-democratas na Assembleia Municipal (AM) abandonaram a última reunião daquele órgão autárquico, realizada na segunda-feira.

Em comunicado, o PSD de Paredes explica que estava em causa uma autorização à Câmara para resgatar à empresa Be Water - Águas de Paredes a concessão da exploração e gestão dos sistemas de abastecimento de água para consumo público e de recolha, tratamento e rejeição de efluentes, bem como a criação dos Serviços Municipalizados de Água e Saneamento.

Recorde-se que esta decisão de resgate foi anunciada em setembro pelo presidente da Autarquia, o socialista Alexandre Almeida, através de uma operação orçada em 22,5 milhões de euros, suportada por financiamento bancário.

Falta de documentação

No comunicado, o porta-voz da bancada do PSD na Assembleia, Manuel Gomes, sublinhou que desde há um ano que o seu partido tem vindo a pedir a disponibilização de todos os documentos "para poder fazer um escrutínio sério ao estado do cumprimento do contrato de concessão" mas só uma parte desses documentos foi fornecida.

A maioria PS é ainda acusada de avançar com a proposta de resgate sem o parecer da ERSAR, a entidade reguladora setorial. Há uma semana, em declarações ao JN, o diretor-executivo da Be Water apontou falhas ao cumprimento do contrato, rejeitou a proposta de 22,5 milhões e anunciou que a empresa vai avançar para o tribunal.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG