Penafiel

IC35 pode avançar no próximo ano

IC35 pode avançar no próximo ano

O projecto do futuro IC35, entre o nó de Guilhufe (A4/IP4) e o nó de Penafiel, está em consulta pública até ao próximo dia 29. A declaração de impacto ambiental será emitida até Março do próximo ano.

Este é mais um passo para a construção de um dos mais ansiados eixos rodoviários que ligará Penafiel, a partir da A4, a Sever do Vouga, tendo como pontos intermédios a nova ponte sobre o Douro, em Entre-os-Rios, Castelo de Paiva, Arouca e Vale de Cambra.

Os autarcas do Vale do Sousa há muito que reclamam a construção deste itinerário, via alternativa à actual EN106, entre Penafiel e Entre-os-Rios. Actualmente, apenas está construído um pequeno troço entre a rotunda junto aos bombeiros de Entre-os-Rios e a nova ponte sobre o Douro.

Aquele troço tem sido muito criticado por não haver ligação no sentido marginal do Douro/Penafiel. Os automobilistas que circulam nessa direcção continuam obrigados a atravessar a povoação ribeirinha, em direcção a Penafiel, e se optarem pelo IC35, terão de atravessar a ponte para Castelo de Paiva e inverter a marcha.

A própria travessia não escapa também a críticas. Um carro que avarie sobre o tabuleiro causará problemas ao tráfego porque existem, apenas, duas faixas, muito estreitas, divididas por um separador.

No entanto, este pequeno troço do IC35 já permitiu encurtar a distância e o tempo de viagem entre Castelo de Paiva e o centro do Vale do Sousa. O nó, agora em discussão pública, permitirá o acesso entre a A4, na zona do ramal de acesso Penafiel/Sul, funcionando como entrada e saída de um dos lados do futuro IC35.

A EN106 foi, entretanto, integrada na Rede Complementar/Itinerários Complementares, fazendo parte do IC 35, que pretende ligar Penafiel a Sever do Vouga, tendo como pontos intermédios Castelo de Paiva, Arouca e Vale de Cambra. Outras alternativas de projecto, nomeadamente um eventual traçado paralelo à EN15, foram abandonadas, dado que não são viáveis, tendo em conta a ocupação urbana e comercial ao longo da estrada, a proximidade ao Hospital do Vale do Sousa e a potencial afectação da Zona Industrial de Gandra.

PUB

Com o objectivo de dividir tráfegos, evitando a acumulação da saída da A4 e do IC35 num único ponto, foram consideradas duas zonas de ligação à rede local. Uma primeira na rotunda junto ao hipermercado Feira Nova, na EN 15, e outra na via municipal, com ligações às estradas nacionais n.º 15 e n.º 106.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG