Referenciação

Suspeito conduzido a hospital que não é de referência

Suspeito conduzido a hospital que não é de referência

Um homem de 57 anos suspeito de estar infetado com o novo coronavírus deu entrada no hospital Padre Américo, em Penafiel, numa ambulância dos Bombeiros Voluntários de Lousada, na sexta-feira.

Só depois foi acionada a ambulância do Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) que fez o transporte para o S. João, no Porto, hospital de referência na região Norte. Questionado pelo JN sobre este procedimento, o INEM justificou com o estado de saúde do doente e a proximidade ao hospital.

O homem foi assistido em casa na manhã de sexta-feira, na sequência de um episódio de falta de ar. "Depois disse aos bombeiros que tinha regressado de Itália há uma semana", afirmou José Aires, comandante da corporação de Lousada.

Essa informação foi passada ao Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), que deu indicação para transportar o doente para Penafiel. "A decisão do INEM para transporte deste doente ao hospital mais próximo teve por base a sua condição clínica, tendo sido adotadas todas as medidas de proteção necessárias", garantiu o INEM.

Chegado a Padre Américo e validada a suspeita de infeção por Covid-19, o doente foi isolado até à chegada da equipa de transporte especializado do INEM, que o levou para o Hospital de S. João, no Porto, onde se encontra a aguardar o resultado das análises.

A 2 de fevereiro, o INEM aguardou cerca de duas horas para que a Direção-Geral da Saúde validasse o caso suspeito de coronavírus em Felgueiras. O doente esteve isolado numa ambulância cerca de cinco horas antes de ser hospitalizado.

Privados poderão vir a ser chamados para dar resposta

PUB

Ao S. João, no Porto, e ao Curry Cabral e Estefânia, em Lisboa, juntam-se mais dez unidades em todo o país para receber casos suspeitos. No Norte são quatro, entre elas o Santo António. No Centro, são outras duas. Na Região de Lisboa e Vale do Tejo, quatro. No Alentejo e Algarve, uma em cada. A diretora-geral da Saúde admitiu que os privados podem vir a ser ativados.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG