Circulação

Acesso de carro a zonas condicionadas no Porto só com registo eletrónico

JN

Rua das Flores está incluída no sistema de registo eletrónico

Foto Rui Oliveira/global Imagens

A partir do próximo ano, quem quiser a aceder a Zonas de Acesso Automóvel Condicionado, no Porto, tem de estar registado numa plataforma eletrónica. Em causa está o acesso às ruas de Cedofeita, das Flores, de Santa Catarina e à Ribeira. A inscrição deve ser feita até 15 de janeiro.

"Está a decorrer, até ao dia 15 de janeiro de 2022, o período de registo na plataforma ZAACPorto, desenvolvida com o intuito de garantir a celeridade e conforto no processo de autorização de acesso às zonas condicionadas. Esta ferramenta está disponível para todos os utilizadores interessados em solicitar ou renovar a licença de acesso às Zonas de Acesso Automóvel Condicionado", explica a Câmara do Porto.

O objetivo desta medida é "acolher em condições de conforto e de segurança os grandes fluxos e concentração de pessoas às zonas de maior procura". "Como garantia da segurança e qualidade de vida de todos os que habitam, trabalham e visitam estas zonas, que se situam essencialmente no Centro Histórico, o acesso automóvel é feito de forma condicionada e sujeito ao registo na plataforma", acrescenta o município.

Salvo raras exceções, como moradores e comerciantes com lugar de estacionamento, o acesso é pago. As dúvidas podem ser esclarecidas através do site municipal porto.pt.

Para inscrição na plataforma existem sete perfis de utilizador: residente; comerciante; fornecedor; outra pessoa singular ou coletiva, pública ou privada; visitante; veículo afeto a obras de construção, reconstrução, conservação ou demolição de imóveis (para carga e descarga dos respetivos materiais); e transporte público de aluguer em veículo automóvel ligeiro de passageiros.

As autorizações atuais mantêm-se em vigor até 15 de janeiro. No dia seguinte, começa a funcionar a plataforma, sendo que o pedido de acesso às outras zonas onde o trânsito automóvel é condicionado deve ser feito sempre através do Portal do Munícipe, alerta a Câmara do Porto.