Porto

Área Metropolitana aprova extensão do "Andante" a Paredes e Santo Tirso

Área Metropolitana aprova extensão do "Andante" a Paredes e Santo Tirso

O novo mapa de extensão do zonamento do "Andante" será aprovado em dezembro pelo Conselho Metropolitano do Porto, o que permitirá em 2017 estender este título para os transportes públicos a toda a Área Metropolitana.

O novo mapa do zonamento [zonas tarifárias dentro da AMP] do título de transporte "Andante" chegará assim, entre outros municípios, a Paredes e Santo Tirso, bem como a concelhos a sul do Douro, disse esta manhã, em reunião do CmP, Avelino Oliveira, da comissão executiva daquele órgão.

Porém, o responsável salientou que esta extensão do zonamento "Andante" "implica uma discussão com a Autoridade da Mobilidade e dos Transportes (AMT) e com o Ministério das Finanças", a quem competirá validar a proposta tendo em conta o apoio social que o Governo dá aos transportes públicos.

"Assim, quando alguém de um desses concelhos usar o 'Andante' poderá beneficiar parcialmente de descontos", explicou.

As zonas vão passar a ser identificadas pelos concelhos, o que se estenderá, também, aos cartões e respetivas funcionalidades.

Na reunião de hoje, os autarcas da AMP decidiram também marcar para breve uma reunião de trabalho para abordar a questão da transferência da gestão da Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) para os seis municípios que são servidos por este serviço rodoviário de transporte público.

Segundo o coordenador dos Transportes e Mobilidade da AMP, Marco Martins, que é também o presidente da Câmara de Gondomar, "o processo está a avançar" e agora será preciso que cada um dos seis municípios submeta a votação em reunião de câmara e em assembleia municipal os documentos que estabelecem a transferência da gestão da STCP.

PUB

Na semana passada, e após o Presidente da República ter promulgado o diploma do Governo que determina a transferência da gestão da STCP para aqueles municípios da Área Metropolitana do Porto, o CmP referiu à Lusa que pretende enviar na primeira quinzena de dezembro para o Tribunal de Contas todo o processo.

Avelino Oliveira adiantou ainda que, no âmbito da reunião que a AMP teve recentemente com a AMT, conclui-se que "não pode haver exclusividade de concessões nos transportes turísticos", sendo que estes transportes "não podem usar os corredores BUS".

"Este tipo de transportes têm proteção ao abrigo da lei da concorrência e não poderão ser regulados a não ser por via de um regulamento municipal", porque "aos operadores turísticos basta ser operador turístico, não precisa de ser operador de transporte".

Nesta reunião, os autarcas da AMP escolheram também o vereador da Mobilidade da Câmara da Póvoa de Varzim, Ricardo Zamith, para o cargo de vogal suplente para o Conselho Fiscal da Metro do Porto, SA.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG