Mobilidade

Área Metropolitana do Porto recebe 22,7 milhões de euros para pagar prejuízos com transportes

Área Metropolitana do Porto recebe 22,7 milhões de euros para pagar prejuízos com transportes

A Área Metropolitana do Porto chegou esta manhã de quinta-feira a acordo com o Governo para receber, à semelhança de Lisboa, uma dotação orçamental de 22,7 milhões de euros para cobrir despesas de transporte de redução de tarifas e pelo impacto da pandemia neste ano.

A candidatura será submetida ainda esta quinta-feira ao Fundo Ambiental e o pagamento será trimestral. O acordo ficou fechado esta manhã de quinta-feira com o Secretário de Estado da Mobilidade, Eduardo Pinheiro.

Para Eduardo Vítor Rodrigues, presidente do Conselho Metropolitano do Porto, "corrigiu-se uma injustiça" e é, observa, "uma vitória da Área Metropolitana do Porto (AMP). "O Governo comprometia-se, através do despacho, a libertar dinheiro de três em três meses. Para a AMP não estava lá nenhum", referiu o também autarca de Gaia ao JN. Os 22,7 milhões de euros, pagos trimestralmente, servirão para cobrir prejuízos na Metro do Porto, na STCP e nos operadores privados da região.

Para a Área Metropolitana de Lisboa, a verba será de 27 milhões de euros.

"Em linhas onde havia prejuízo, o Fundo Ambiental paga", clarifica Eduardo Vítor Rodrigues, admitindo que esta alteração "cria confiança aos operadores privados, no caso das carreiras que estão a dar prejuízo", podendo assim também motivar o arranque do concurso metropolitano de transportes, que continua a ser reavaliado do ponto de vista económico-financeiro. Em causa estão os encargos orçamentais atribuídos aos municípios e que Gondomar, com uma fatura anual de 993,5 mil euros, se recusa a aceitar.

PUB

Esta dotação orçamental de 22,7 milhões de euros, nota, "é a mesma do ano passado, sendo que, este ano espera-se que haja um aumento de procura" nos transportes, com o aliviar da pandemia.

No que toca às contas do ano de 2020, que muitas empresas ainda reclamavam a propósito do Programa de Apoio à Redução Tarifária (PART), Eduardo Vítor Rodrigues garante que as últimas verbas foram pagas no passado mês de junho.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG