Junta

Autarca do Centro Histórico do Porto herdou dívida de 80 mil euros

Autarca do Centro Histórico do Porto herdou dívida de 80 mil euros

Nuno Cruz diz que tem no banco apenas 43 mil euros e um défice mensal na ordem dos 16 mil euros.

O novo presidente da União de Freguesias do Centro Histórico do Porto herdou uma dívida do anterior executivo na ordem dos 80 mil euros. Como saldo, Nuno Cruz que mandou fazer uma auditoria às contas da junta afirma ter no banco para as despesas correntes da autarquia apenas 43 mil euros. Para sair "da linha da água", o novo autarca vai rentabilizar os edifícios que estão sem utilização, reavivar creches e centros de dia, colocar a funcionar urinóis pagos e lavandarias.

"Estamos onde tudo acontece, no melhor sítio da cidade e o que vou procurar fazer é rentabilizar os espaços da junta e encontrar parcerias com IPSS que possam gerir espaços como creches, centros de dia e ATL, pagando uma renda e ficando também com funcionárias cujos salários passariam a ser pagos pela Segurança Social", conta Nuno Cruz, eleito pelo movimento de Rui Moreira "Aqui há Porto", explicando que o défice mensal da junta é da ordem dos 16 mil euros.

Entre os projetos que o autarca do centro histórico pretende avançar de imediato está a reativação da creche O Miminho, a transformação da ludoteca na Rua da Reboleira num espaço para recolha de artigos usados que serão depois vendidos de forma a angariar fundos para famílias necessitadas e o Mercado de S. Sebastião, requalificando-o de forma a manter os frescos mas a alargar a oferta de produtos. "Podemos ter ali produtos tradicionais como queijos e enchidos, provas de vinho e artesanato. O importante é ter gente dentro do mercado num local onde não faltam turistas", salienta Nuno Cruz que afirma ter todo o apoio da Câmara do Porto.

A colocação de urinóis, com o preço de uso de 50 cêntimos, e o alargamento do horário de funcionamento das três lavandarias da União de Freguesias, com pagamento em moedas, são também objetivos. "O anterior autarca nunca teve um orçamento aprovado porque decidia tudo sozinho e colocava os funcionários de castigo quando discordavam dele", diz Nuno Cruz.

Anterior autarca desvaloriza

"Quando cheguei à junta em 2013 encontrei um buraco de 1,6 milhões de euros que não eram pagos à Segurança Social mais as dívidas havia à ADSE, à PT e tinha o edifício da antiga sede da Junta de Cedofeita em hasta pública e não entrei em pânico. Esse senhor mostra que não está no lugar certo", contrapõe o anterior autarca, António José Fonseca que nas mesmas eleições autárquicas foi candidato à Câmara do Porto com o apoio do Chega.

PUB

Para o ex-autarca, se Nuno Cruz não tem dinheiro "o culpado é de Rui Moreira que retirou do Fundo de Financiamento das Freguesias a atribuir ao Centro Histórico 400 mil euros, mais os 75 mil euros/ano que recebíamos pelo aluguer às empresas de camionagem do parque de Magauanha".

Recorde-se que na próxima terça-feira haverá nova tomada de posse do executivo da União de Freguesias do Centro Histórico depois de, em outubro, terem sido detetadas irregularidades na nomeação. "A oposição que o faço cair, que haja eleições antecipadas que eu volto a concorrer e resolvo o problema", diz António José Fonseca.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG