PAN

Bebiana quer evitar parque subterrâneo em jardim na Foz do Douro

Bebiana quer evitar parque subterrâneo em jardim na Foz do Douro

Candidata do PAN à Câmara do Porto, Bebiana Cunha, quer consultar projeto para Largo de Cadouços e saber que pareceres foram emitidos. Moradores falam em "destruição" do jardim e rejeitam parque.

Preocupados com o arranque da construção de um parque de estacionamento subterrâneo no Largo do Capitão Pinheiro Torres de Meireles, conhecido como Largo de Cadouços, na Foz do Douro, no Porto, os moradores da zona chamaram o PAN e a candidata do partido à Câmara do Porto, Bebiana Cunha, para discutir quais as medidas que devem adotar para evitar a "destruição do jardim".

Os moradores, que se reuniram na tarde deste domingo com a candidata, garantem nunca ter sido consultados pela Autarquia sobre o projeto e rejeitam a afirmação feita na altura em que o projeto do parque de estacionamento foi anunciado, em fevereiro de 2017, de que o espaço não era utilizado. Foi lançada uma petição pública online contra a construção do parque, que conta com 511 assinaturas.

"Falam em quatro meios pisos, com 240 lugares. O jardim é tradicional do Porto e há aqui três casas protegidas do século XVIII, que faziam parte do mosteiro de Santo Tirso e não aguentariam as explosões necessárias para construir o parque ", nota Paula Faria, de 55 anos, que reside na zona, enquanto mostra uma portaria publicada em junho de 2013, que classifica como conjunto de interesse público o conjunto da Foz Velha, onde se inserem os três edifícios. Os moradores dizem ainda não ter dificuldade em estacionar.

Projeto "em incumprimento"

A candidata do PAN à Câmara do Porto, Bebiana Cunha, aconselhou a criação de uma comissão de moradores para levar o caso a discussão na Autarquia. "Estamos a falar de um espaço público que tem as suas funções sociais, evidentemente, mas também de uma perspectiva sempre de relação entre aquilo que é a qualidade de vida e a qualidade ambiental, lia-se, a qualidade do ar", alerta.

"Estamos a falar de uma zona que é preservada do ponto de vista do património histórico. Se está previsto um parque de estacionamento que vai afetar esta área, estará em incumprimento", observa Bebiana Cunha, comprometendo-se a solicitar à Câmara o atual projeto para o local, bem como questionar a Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte (CCDR-N) "se tem informação sobre o projeto, se foi emitido algum parecer e que outras entidades foram chamadas a pronunciar-se".

PUB

"Se o argumento que tem sido utilizado é implementar um parque de estacionamento para os moradores e estamos aqui com 30 residentes que claramente dizem que não querem, então o que trazemos para o debate político é que as decisões políticas têm que envolver os moradores. Não podem ser tomadas de forma surda em relação àquilo que são as vontades das pessoas", refere Bebiana Cunha, reconhecendo problemas de mobilidade da zona, mas considerando que esta não é a solução.

Para a candidata, devem ser criados parques dissuasores da utilização do carro na envolvência da cidade. "E para as pessoas se deslocarem para o interior, devem ser bem servidas por transportes que as tragam até cá, não invalidando que as pessoas que cá vivam tragam o seu automóvel", esclarece.

Anúncio em 2017

O projeto para um parque de estacionamento no Largo de Cadouços foi anunciado pela Câmara do Porto em fevereiro de 2017. O investimento seria de três milhões de euros. A Autarquia previa a conclusão da obra no verão de 2018.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG