Exclusivo

Bombeiros Voluntários do Porto em convulsão e sem meios para socorro

Bombeiros Voluntários do Porto em convulsão e sem meios para socorro

Contestação à Direção dos Voluntários do Porto arrasta-se desde 2019. Comandante admite que situação da corporação é "insustentável".

Há meses que a corporação da Real Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários do Porto não assegura serviços de socorro, à exceção de fogos. Com o despedimento de nove funcionários, entre os quais sete bombeiros (incluindo o comandante José Carlos Coelho) e dois telefonistas, há dias, como o domingo, em que não há operacionais para responder aos pedidos de ajuda.

Numa altura em que a contestação à Direção da Associação Humanitária sobe de tom, está marcada, para hoje à noite, uma assembleia-geral que prevê a mudança de estatutos.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG