Apoio social

Câmara do Porto já apoiou 40 sem-abrigo devido ao frio

Câmara do Porto já apoiou 40 sem-abrigo devido ao frio

A Câmara do Porto revelou esta terça-feira que, no âmbito do plano de contingência para sem-abrigo acionado devido ao tempo frio, há 23 pessoas nas estruturas de acolhimento de emergência, de um total de 40 a quem prestou apoio.

Ao 7.º dia de vigência do Plano Contingência acionado devido ao frio, o município faz um primeiro balanço e refere, na sua página na Internet, que "as respostas reforçadas revelam-se adequadas às necessidades e ainda há vagas disponíveis nas estruturas de acolhimento de emergência provisório".

Sob coordenação da autarquia, o plano que foi acionado no dia 30 de dezembro já garantiu resposta a mais de 40 pessoas em situação de sem-abrigo, que aceitaram uma das soluções apresentadas pela Proteção Civil Municipal e pelas equipas de rua multidisciplinares. Atualmente, acrescenta, estão 23 pessoas em estruturas de acolhimento provisório.

Nas instalações do antigo hospital Joaquim Urbano, onde a Câmara tem em funcionamento um Centro de Acolhimento de Emergência, e onde está localizado um dos três restaurantes solidários da cidade, estão, neste momento, 20 pessoas, havendo ainda vagas disponíveis.

Também no Centro de Campanhã dos Albergues Noturnos do Porto, onde estão três pessoas, as vagas disponíveis ainda não foram totalmente preenchidas, embora a margem seja relativamente menor do que a do Centro de Acolhimento de Emergência de Joaquim Urbano.

Além destas duas estruturas de acolhimento provisório, a Câmara do Porto informa que o Centro de Alojamento Social (CAS) da Segurança Social tem uma vaga disponível.

PUB

"Neste momento ainda há vagas, pelo que para qualquer encaminhamento pode ser contactada a equipa do Núcleo de Planeamento e Intervenção Sem-Abrigo (NPISA) Porto do Departamento da Coesão Social da Câmara. Continuaremos a garantir o teste prévio à entrada por recursos próprios ou recorrendo aos ACES [Agrupamento de Centros de Saúde]", informa o vereador da Habitação e Coesão Social, Fernando Paulo, coordenador do NPISA Porto, citado na nota.

Sublinhando que o plano permanecerá ativo enquanto se mantiverem as temperaturas baixas, a autarquia indica que, desde que abriu portas, a 1 de janeiro, entre as 21 horas e as 8 horas, a Estação do Metro dos Aliados tem recebido cerca de 18 pessoas por noite, sendo que na última noite pernoitaram no local 21 pessoas.

Segundo o município, a Proteção Civil Municipal e o Batalhão de Sapadores Bombeiros do Porto asseguram diariamente a operacionalização desta estrutura e respetivo transporte, bem como os cobertores para dormir e a descontaminação do espaço.

O restaurante solidário de Joaquim Urbano, por seu turno, fornece os jantares.

Na estação de metro, está também diariamente uma equipa da organização Coração na Rua, com mais cobertores, bebidas quentes e comida, além de uma equipa da Médicos do Mundo que, no local, tem prestado apoio médico para análise de sintomas e cuidados necessários.

"Ainda assim, o município contabiliza mais de 40 pessoas que recusaram, até ao momento, deslocar-se para uma das estruturas de acolhimento provisório. No entanto, todas elas estão monitorizadas pelas equipas de rua multidisciplinares, que lhes prestam todo o apoio ao nível de agasalhos e refeições quentes", observa.

O tempo frio vai continuar pelo menos até ao final da semana em especial nas regiões do interior norte e centro onde as temperaturas mínimas podem chegar aos seis graus negativos, segundo a meteorologista Maria João Frada.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG