Vacinação

Candidato do Bloco diz que Moreira deve pedir "desculpas à cidade do Porto"

Candidato do Bloco diz que Moreira deve pedir "desculpas à cidade do Porto"

Sérgio Aires, cabeça de lista do Bloco de Esquerda à Câmara do Porto, criticou, este sábado, a atuação de Rui Moreira a propósito da vacinação contra a covid-19, no âmbito da polémica sobre o encerramento do centro do Queimódromo. Acusou o autarca de ser "o campeão da liga dos últimos na resposta à crise" e defendeu que "deve uma explicação e um pedido de desculpas à cidade do Porto".

"O plano de vacinação contra a covid-19 está a avançar com grande êxito em todo país, garantindo proteção para cada um e saúde pública para todos. Esse esforço tem um responsável: o Serviço Nacional de Saúde (SNS). Fruto do esforço das instituições públicas e de profissionais dedicados, o Porto tem dois centros de vacinação (o do Cerco, em Campanhã, e o Regimento de Transmissões, em Ramalde) que há meses cumprem a sua função com eficácia, segurança e celeridade. No Porto, como no país, o serviço público foi a melhor garantia contra os primeiros perigos da pandemia. Assim está a ser, também, com a vacinação", começou por comentar ao JN.

"Quase mil vacinas expostas ao perigo"

Porém, "Rui Moreira foi o principal promotor do consórcio que entregou um centro de vacinação às mãos dos privados: a Unilabs, gerida pelo ex-deputado Luís Menezes. Caso único no país. Utilizando um terreno que é municipal, com recursos da cidade. Esta ilha isolada do SNS, foi o foco do maior e mais grave problema da atual fase do plano de vacinação: quase mil vacinas expostas ao perigo de uma falha no sistema da Unilabs e um grave atraso na comunicação do ocorrido às autoridades", criticou ainda o candidato Sérgio Aires. E "não nos esquecemos, falamos da mesma Unilabs que, no início da pandemia, deu prioridade aos clientes privados na fila para os testes da covid, pondo em causa a equidade no acesso à saúde".

"Gastou menos e mal no que importa"

PUB

Sérgio Aires conclui que o presidente da Câmara e recandidato independente "foi o campeão da liga dos últimos na resposta à crise. Gastou menos e mal no que importa de acordo com os dados públicos". Mas, "perante esta trapalhada, Rui Moreira escolhe reforçar a sua campanha em defesa de um centro de vacinação com atividade suspensa pelas autoridades de saúde. Rui Moreira deve uma explicação e um pedido de desculpas à cidade do Porto", defendeu o cabeça de lista do Bloco à Câmara.

Quarta-feira, a task-force para a vacinação anunciou que o centro do Queimódromo, onde, na semana passada, a vacinação foi suspensa devido a problemas de refrigeração, só reabre depois de apuradas as causas do problema e do atraso na participação da ocorrência, estando em curso um inquérito. O coordenador da task-force, Gouveia e Melo, referiu que o centro não tem "neste momento a confiança" da equipa para reabrir. Por sua vez, Rui Moreira, em conferência de imprensa, disse aguardar a decisão da task force, mas defendeu a necessidade e urgência de reabrir aquele centro devido à vacinação dos adolescentes entre os 12 e os 15 anos, considerando que, de outra forma, a cidade não tem capacidade de resposta.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG