Porto

Cão que matou menina no Porto não tinha seguro nem chip

Cão que matou menina no Porto não tinha seguro nem chip

O dono do cão de raça potencialmente perigosa que, na segunda-feira, matou uma bebé de 20 meses, no Porto, pode enfrentar 2 anos de prisão e diversas multas. O destino do cão, esse está traçado: vai ser condenado à morte.

O dogue-argentino que atacou e matou Bárbara Vieira, uma menina de 20 meses num apartamento no centro do Porto, não possui o obrigatório seguro, apurou o JN. O cão, de nome Paku, com seis anos de idade, comprado a um criador de Valadares, Gaia, não estará também registado - o que só pode ser feito mediante apresentação de seguro de responsabilidade civil válido. O cão, que foi recolhido logo após o feroz ataque à bebé, está em regime de quarentena no Canil Municipal do Porto.

Paku, que vivia com outra cadela mais velha, também de raça dogue-argentino, no apartamento de 1.o andar na Rua de Camões, na Baixa do Porto, é propriedade de Rui G, de 27 anos.

Leia mais na edição e-paper ou na edição impressa

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG