Câmara Municipal do Porto

Casa de Manoel de Oliveira à venda por ajuste direto

Casa de Manoel de Oliveira à venda por ajuste direto

A Câmara do Porto assumiu esta segunda-feira que houve um "erro" quando foi inserido no site o anúncio relativo à Casa Manoel de Oliveira, cineasta recentemente falecido. O imóvel está à venda por ajuste direto e não em hasta pública.

Fonte citada pela Lusa referiu que só depois de terminado o prazo para a venda por ajuste direto, a 7 de maio, é que a Autarquia "decidirá se leva ou não [o imóvel] a hasta pública", admitindo, contudo, que tal venha a acontecer.

O erro manteve-se desde manhã até por volta das 15 horas e, depois da correção, o anúncio foi transferido para a hiperligação dos ajustes diretos.

Em maio do ano passado, as duas fracções do edifício situado na Foz - e projetado pelo renomado arquiteto Eduardo de Souto Moura - ficaram sem comprador, tendo a hasta pública de então sido declarada deserta dez minutos após o início. Para situações destas, o Código Regulamentar do Município do Porto estipula um prazo de um ano para que potenciais interessados apresentem propostas de compra.

Há sensivelmente um ano, o presidente da Câmara, Rui Moreira, justificou a intenção de venda com o facto de não fazer sentido "manter uma casa que nunca foi utilizada", recordando o projeto que a Fundação de Serralves tem com vista à criação da Casa do Cinema Manoel de Oliveira num espaço da Casa de Serralves, com projeto de Álvaro Siza.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG