Porto

Caso Selminho não trava recandidatura de Rui Moreira

Caso Selminho não trava recandidatura de Rui Moreira

Rui Moreira vai candidatar-se a um terceiro mandato à presidência da Câmara do Porto como independente. São 11 os candidatos às eleições para a autarquia portuense.

Com o apoio do movimento "Porto: Nosso Partido", Rui Moreira foi uma das estrelas na noite eleitoral de 2013 (ao pôr termo a 12 anos de governação social-democrata na cidade), feito que repetiu em 2017. Angariou 44,5% dos votos, o que lhe deu direito a sete vereadores, deixando para trás o PS (28,6% e quatro vereadores eleitos).

Nem a ida a julgamento, devido ao caso Selminho, trava o combate nas urnas. A candidatura de Moreira conta com o apoio do CDS-PP e da Iniciativa Liberal. O mesmo se passa com O MAIS - Movimento de Cidadania Independente e O Nós, Cidadãos!

O candidato do PS é Tiago Barbosa Ribeiro, líder da concelhia socialista portuense. Antes, a opção tinha passado por Eduardo Pinheiro, o secretário de Estado da Mobilidade. ​Mas o convite foi declinado. Também o secretário-geral adjunto do PS, José Luís Carneiro, foi hipótese, mas manifestou indisponibilidade.

O PSD, reduzido a 10,4% na última eleição e que conta apenas com um vereador no Executivo atual, escolheu Vladimiro Feliz para enfrentar Moreira. Vladimiro foi vereador e vice-presidente quando Rui Rio liderou a Câmara do Porto (2001-2013).

A CDU, que conseguiu 5,9% em 2017, volta a fazer campanha por Ilda Figueiredo, vereadora sem pelouro neste mandato. Sem lugar na vereação, o BE designou o sociólogo Sérgio Aires para a refrega eleitoral. O PAN aposta em Bebiana Cunha.

Também são candidatos Diogo Araújo Dantas (PPM) e André Eira (Volt Portugal). António Fonseca, presidente da União de Freguesias do Centro Histórico do Porto, concorre pelo Chega. Diamantino Raposinho, pelo Livre, e Bruno Rebelo, pelo "Ergue-te!", completam a lista.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG