Visita

Rei de Espanha elogia "tenacidade" dos habitantes do Porto

Rei de Espanha elogia "tenacidade" dos habitantes do Porto

O rei de Espanha, Filipe VI, elogiou, esta segunda-feira de manhã, o empreendedorismo da cidade do Porto e a "tenacidade" dos seus habitantes, que permite a Invicta ultrapassar "qualquer adversidade".

"Um dos elementos essenciais dessa transformação é a pujança da Universidade do Porto e do seu Parque de Ciência e a Tecnologia, que fazem do Porto uma cidade empreendedora por excelência, contribuindo para dinamizar a economia e atrair cada vez mais empresas", declarou Felipe VI, na sessão solene na Câmara do Porto.

No início de uma visita oficial de três dias a Portugal, com início na cidade do Porto, o rei de Espanha falou também no auge do Turismo, que tem contribuído para reabilitar o centro histórico da Invicta e nos 260 anos de história do vinho do Porto.

Já o presidente da Câmara do Porto viu na visita dos monarcas, uma oportunidade para se "potenciar sinergias, criar pontes, derrubar barreiras ainda existentes". "Pensemos na escala dos países de língua portuguesa e castelhana e nas oportunidades que esse espaço nos pode oferecer", aconselhou Rui Moreira, convicto de que instituições como a UPTEC e o I3S (que os reis de Espanha vão visitar na manhã de terça-feira) são exemplo de "até onde podemos ir se, de um lado e do outro da fronteira, encontrarmos parceiros".

A sessão solene foi marcada por um problema técnico, que impediu os jornalistas de acompanharem os discursos em direto, através de televisores, conforme estava determinado, pelo protocolo, por questões de segurança.

Na despedida da Câmara do Porto, os reis de Espanha foram saudados por 60 crianças, de três escolas da cidade, munidos de pequenas bandeiras do país vizinho. E seguiram, de baixo de palmas, num Mercedes, rumo à Fundação de Serralves, onde vão ver a exposição de Miró.

Tinha acabado de arrancar o carro dos monarcas, quando o presidente da República resolveu quebrar o protocolo, para cumprimentar as centenas de pessoas que estavam nos Aliados. "Marcelo!, Marcelo!", gritaram, por entre exclamações de "Presidente do Povo".

Os reis de Espanha chegaram à Câmara do Porto, esta segunda-feira de manhã, com seis minutos de atraso, para uma visita de três dias, que os vai levar também a Guimarães e termina em Lisboa.

O rei Felipe VI e a rainha Letizia foram recebidos no exterior da Câmara do Porto pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, com quem ouviram os hinos dos dois países.

Antes de entrarem na Câmara do Porto, Felipe VI e Letizia deram a volta aos Aliados num Rolls Royce da Presidência da República e acompanhados por uma escolta da Unidade de Segurança e Honras de Estado da GNR, com 101 cavalos lusitanos.

Nos Aliados, centenas de pessoas assistiram à passagem dos Reis de Espanha, que as saudaram do interior do veículo.

Muito aplaudidos pelas centenas de pessoas que os esperavam, o rei Felipe VI e a rainha Letizia foram recebidos no exterior da Câmara do Porto pelo presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa.

Os reis foram saudados com uma salva de 21 tiros, um tiro a cada quatro segundos, feita por 31 elementos. Seguiram-se os hinos dos dois países, tocados pela Banda da Armada, constituída por 60 militares.

Seguiram-se as cerimónias de saudação da Bandeira e de revista à guarda de honra, constituída por 120 elementos da Escola Naval, da Companhia de Alunos da Academia Militar e da Academia de Alunos da Força Aérea.

Depois da fotografia oficial, os reis seguiram para o interior da Câmara, onde vão receber a chave de honra da cidade.

O casal real entrou na Câmara do Porto por uma passadeira vermelha colocada em frente ao edifício dos Paços do Concelho.

Na cerimónia, que será aberta pelo presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, os reis deverão deixar umas breves palavras, antes de assinarem o livro de honra.

O presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, reuniu, depois, com o rei de Espanha, Felipe VI. A reunião, à porta fechada, decorreu na Sala D. Maria da Câmara do Porto.

Durante a reunião entre Marcelo e Filipe, que deveria demorar cerca de 20 minutos, a rainha Letizia aguardou no gabinete da Presidência da Câmara, acompanhada pelo autarca Rui Moreira.

Espera-se que a sessão solene na Autarquia comece ao meio-dia. Está previsto ainda que, no final da cerimónia, os Reis de Espanha cumprimentem a população. Depois dirigem-se à Fundação de Serralves, onde vão apreciar a exposição de Juan Miró, longe dos olhares dos jornalistas.

Aliás, na maior parte dos pontos da visita, os movimentos dos reis de Espanha foram acompanhados pelos jornalistas através de ecrãs de televisão, na sala onde habitualmente se reúne a Assembleia Municipal do Porto.

Medidas de segurança apertadas, impostas pelos monarcas, que levaram ao encerramento da estação do metro dos Aliados e à colocação de barreiras na Trindade, estação onde ninguém entra sem bilhete. Também várias ruas foram cortadas ao trânsito.

Felipe e Letizia viajaram para o Porto em avião escoltado por dois caças F-16 da Força Aérea Portuguesa. Depois de aterrar no aeroporto Francisco Sá Carneiro, o casal real seguiu para o centro da Invicta escoltado por um forte contingente policial.

Outras Notícias