ACP

Comerciantes do Porto satisfeitos com final da Champions e confiantes no retorno

Comerciantes do Porto satisfeitos com final da Champions e confiantes no retorno

O presidente da Associação de Comerciantes do Porto manifestou-se esta segunda-feira "satisfeito" com a realização da final da Liga dos Campeões no Porto, considerando que as imagens e promoção da região vão ter "sobretudo um retorno económico no futuro".

"Da nossa parte, ficámos satisfeitos e esperemos que mais eventos se realizem no Porto, porque é muito importante para a economia da cidade e para a economia futura da cidade", declarou à Lusa Joel Azevedo, presidente da Associação de Comerciantes do Porto (ACP).

Questionado sobre qual o impacto da chegada de milhares de adeptos ingleses à cidade do Porto, entre quinta-feira e sábado, Joel Azevedo reconheceu que o impacto positivo na hotelaria foi "enormíssimo", bem como em algum "comércio muito específico e muito local", devido à limitação dos adeptos a dois sítios da cidade: Avenida dos Aliados e Alfândega.

"O 'feedback' é positivo. Claro que não foi por toda a cidade. Foi limitada a pequenas áreas, mas o impacto que a final da Liga dos Campeões trouxe não é um impacto imediato, é futuro", descreveu.

O responsável lembra que "a maioria dos países europeus não estava em condições de realizar este evento, pelos números de casos [de infeções por SARS-CoV-2, que provoca a covid-19] que tem".

"Portugal estava em condições de realizar este evento e realizou colocando em segurança todos os portuenses e fazendo-o de uma forma exemplar", disse.

Na opinião do presidente da ACP, a questão do retorno económico não se vê apenas pelo imediatismo, mas sobretudo, no que pode trazer no futuro à cidade e à região.

PUB

"Não é só o impacto imediato que traz, mas o impacto futuro. Por isso é que nós consideramos de enorme importância que tenha sido realizada esta final da Liga dos Campeões. Não pelo que trouxe nestes três dias, mas, sobretudo, pelo que pode vir a trazer no futuro, e precisamos de alavancas destas que promovam a nossa região, que promovam o nosso país e que, quando tudo voltar à normalidade traga cada vez mais turistas a visitar as nossas cidades", afirmou.

"São imagens e promoção de uma região, de uma cidade em relação à qual quem cá veio, provavelmente vai querer cá voltar. O Porto foi falado mais uma vez por toda a Europa por realizar a Liga dos Campeões", destacou.

A competitividade cada vez é "maior" e, para Joel Azevedo, Portugal conseguir atrair eventos desportivos desta natureza, como a Champions, é "muito significativo não só para o presente, mas sobretudo para o futuro".

"Vimos com bons olhos que tenha sido feito nesta altura, no princípio de uma retoma à normalidade. É um ato simbólico, para já, mas esperemos que venham muitos outros a seguir a este. Tudo o que aconteceu era mais ou menos previsível e foi mais ou menos controlado", acrescentou, referindo que quem definiu "a capacidade do estádio foi a própria UEFA".

O final da edição 2020/21 da Liga dos Campeões realizou-se no Estádio do Dragão, no Porto, às 20 horas, no sábado passado, com a equipa do Chelsea a ganhar por 1-0 ao Manchester City.

O Porto foi escolhido para substituir a cidade de Istambul, no seguimento das dificuldades intransponíveis de viagens dos adeptos ingleses, tendo em conta que a Turquia integra a lista vermelha do Reino Unido, referiu a UEFA para justificar a alteração do palco da final da Champions, motivada pelos condicionalismos inerentes à pandemia de covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG