Mobilidade

Comissão Regional do Norte quer que comboio volte a unir Porto e Salamanca

Comissão Regional do Norte quer que comboio volte a unir Porto e Salamanca

O presidente da Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional do Norte CCDR-N) defendeu esta terça-feira que a reativação da ligação ferroviária entre Porto (Portugal) e Salamanca (Espanha) deveria ter "como meta" o Novo Ciclo de Condução Europeu e os fundos do próximo quadro financeiro 2021-2027.

"Estamos num Ciclo Europeu que é o 2021-27. Acho que, nesse ciclo, devíamos definir como meta que isso [reativação da linha ferroviária] possa acontecer", declarou aos jornalistas Fernando Sousa Freire, à margem de uma reunião com o Turismo do Porto e Norte de Portugal e o Turismo da Região de Castela e Leão (Espanha), que decorreu no Palácio da Bolsa, no Porto.

Questionado pela Lusa sobre quantos anos é serão necessários para reativar a ligação ferroviária internacional entre o Porto e Salamanca, Fernando Freire de Sousa defendeu que a meta deve ser o próximo Quadro Financeiro Flurianual (QFP) entre 2021 e 2027.

"Atendendo às várias coisas que vou ouvindo de uma parte (Portugal) e de outra (Espanha), e ao volume financeiro que possa estar associado, eu julgo que não é uma coisa que não possa ser pensada num prazo deste ciclo de programação em que estamos. Estamos num ciclo europeu que é o 21-27. Acho que nesse ciclo, devíamos definir como meta que isso possa acontecer", acrescentou.

O presidente da CCDR-N observou que pode haver "detalhes" que se desconheçam e que possam criar "pequenas dificuldades", mas assegura que "não há nunca dificuldades inultrapassáveis".

"Mesmo as [dificuldades] financeiras podem levar mais tempo a ultrapassar-se, mas também são ultrapassáveis", destacou, defendendo que "não havendo dificuldades de fundo, ninguém poderá deixar de olhar para a possibilidade de ligar a região" Norte à região de Castelo e Leão e "diminuir toda a desertificação fronteiriça".

Outras Notícias

Outros Conteúdos GMG