Porto e Gaia

Concursos atrasaram obra na Ponte Luís I, justifica Pedro Nuno Santos

Concursos atrasaram obra na Ponte Luís I, justifica Pedro Nuno Santos

Pedro Nuno Santos, ministro das Infraestruturas e da Habitação, justificou, nesta manhã de quinta-feira, o atraso da obra de requalificação do tabuleiro inferior da Ponte Luís I, entre o Porto e Gaia, pelo facto de ter sido necessário lançar dois concursos. O primeiro ficou deserto.

"Houve um concurso deserto e foi necessário lançar um novo, com preço base superior e isso atrasou. É uma obra complexa. Estamos a falar de património histórico, com materiais muito específicos", disse em Viana do Castelo, à margem da viagem inaugural das novas carruagens ARCO na Linha do Minho.

PUB

Ou seja, o facto de o primeiro procedimento, lançado em julho de 2019, ter ficado deserto (todas as propostas apresentadas ficaram acima do valor base de dois milhões de euros), atrasou o próprio arranque da obra. O novo concurso público foi lançado em outubro de 2020 por 3,8 milhões de euros. A obra foi adjudicada por 3,25 milhões de euros e os trabalhos arrancaram 12 meses depois.

Ao que o JN conseguiu apurar decorrem negociações com o empreiteiro, uma vez que a empreitada não ficará concluída dentro do prazo previsto.

"Nas Infraestruturas, temos vários problemas desses, mas a obra vai ser feita", garantiu, sem adiantar prazos de conclusão.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG