Mobilidade

Elétricos voltam a circular no Porto a partir de 6 de junho

Elétricos voltam a circular no Porto a partir de 6 de junho

Os elétricos do Porto voltam a circular no Porto a partir de 6 de junho, um sábado, mas com lotação reduzida e outras medidas para travar eventuais contágios pelo novo coronavírus, informou esta sexta-feira operadora.

Em causa está a circulação, interrompida desde de meados de março, nas linhas 1 (Infante-Passeio Alegre), 18 (Massarelos-Carmo) e 22 (Carmo-Batalha).

Em comunicado, a Sociedade de Transportes Coletivos do Porto (STCP) adianta que os elétricos vão circular com lotação limitada a dois terços da sua capacidade: 34 pessoas no carro "Belga" e 25 nos restantes.

Viajar nos elétricos, uma opção procurada sobretudo por turistas, vai implicar o uso de máscara ou viseira e desinfetar as mãos num dispensador de gel a disponibilizar nos veículos.

As assinaturas Andante são válidas (com exceção dos títulos municipais "não Porto") e os pagamentos a bordo só serão possíveis por terminal multibanco e, de preferência, através da modalidade "sem contacto".

Entre outras medidas previstas para garantir a segurança de passageiros e guarda-freios, a STCP vai proceder à desinfeção geral dos elétricos, por nebulização, em operações todas as noites.

As medidas de prevenção incluem, igualmente, a pulverização, nos términos dos circuitos, de superfícies previsíveis de maior contacto, como varões, parapeito das janelas, bancos e janelas.

Os elétricos vão circular sempre com as janelas abertas.

Medidas similares de proteção vão ser adotadas no Museu do Carro Elétrico que, conforme adianta o comunicado da STCP, reabre já no primeiro dia de junho.

O museu, que em 2019 recebeu 29 mil visitantes, situa-se no edifício da antiga Central Termoelétrica de Massarelos, junto ao Douro.

""A partir de próxima semana, será possível voltar a visitá-lo num novo horário, cumprindo e respeitando um conjunto de medidas preventivas postas em prática, de modo a garantir a total segurança de visitantes e colaboradores", refere a empresa.

O museu passará a abrir ao público das 10 às 13 horas e 14 às 18 horas, entre terça-feira e domingo, e das 14 às 18 horas, à segunda-feira.

"A visita à exposição continua a ser realizada de forma livre, sem guias, mas foi definido um número máximo de 30 pessoas, a permanecerem em simultâneo no espaço, para reforço da proteção individual dos visitantes", indica o comunicado.

Os espaços museológicos serão limpos e desinfetados e os visitantes terão de usar máscara ou viseira é obrigatório, entre outras medidas.

Os equipamentos interativos estarão desativados como medida de segurança adicional.