Fogo

Encontrou mãe e tia mortas dentro do quarto no Porto

Encontrou mãe e tia mortas dentro do quarto no Porto

Foi o filho e sobrinho das duas mulheres de 72 e 78 anos que morreram num incêndio esta quinta-feira ao final da tarde, no Porto, que encontrou a mãe e a tia carbonizadas e chamou os bombeiros.

Numa visita habitual a casa da mãe e da tia, no quarto andar do número 211 da Rua Óscar da Silva, em Paranhos, no Porto, o filho e sobrinho das duas mulheres encontrou o quadro da luz desligado. Ao voltar a ligar, o homem de 51 anos dirigiu-se ao quarto, que tinha a porta fechada, e encontrou a mãe e a tia carbonizadas, poucos minutos depois das 18 horas. O incêndio, que ficou confinado ao quarto, não se alastrando para outra divisão da casa ou do prédio, já se tinha autoextinto. Nem tão pouco foi preciso evacuar o edifício.

Os Bombeiros Sapadores do Porto dirigiram-se ao local às 18.30 horas. Os corpos foram retirados às 23.30 horas. A investigação está entregue à Polícia Judiciária.

A mulher de 72 anos foi há cerca de dois anos viver com a irmã mais velha, de 78 anos, que tinha alguns problemas de saúde, para lhe prestar apoio e fazer companhia. Também o marido da irmã mais nova, com idade na casa dos 70 anos, vivia no apartamento, mas está internado no Hospital de S. João, no Porto, à espera de ser operado. O casal tem três filhos.

De acordo com os vizinhos, quase ninguém se apercebeu o que se passou. Entre o carinho com que recordam as irmãs, lamentam o "azar" que lhes aconteceu esta quinta-feira à tarde. Viviam as suas vidas normalmente, mas ultimamente poucas vezes as viam. Por causa da situação pandémica, passavam mais tempo dentro de casa, relataram os vizinhos ao JN.

PUB

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG