Porto

Enfermeiros do Santo António trocam de roupa em vestiário inundado

Enfermeiros do Santo António trocam de roupa em vestiário inundado

Santo António apresenta problemas estruturais de infiltrações de água nas claraboias. Mais de cem profissionais estão sem condições de trabalho.

Mais de cem enfermeiros do Serviço de Urgência do Hospital Santo António, no Porto, são obrigados a trocar de roupa num chão encharcado, quase sempre que há mau tempo. Nos dias em que chove com mais intensidade, os pertences que guardam nos cacifos existentes nos vestiários também ficam molhados. Anteontem, os enfermeiros foram, inclusive, obrigados a colocar lençóis no chão para absorver a água.

O Centro Hospitalar Universitário do Porto, responsável pelo Hospital Santo António, reconhece "problemas estruturais de infiltrações de água nas claraboias de iluminação". Que, diz, ficarão solucionados com novos balneários, que só ainda não estão a ser construídos porque o empreiteiro recusou avançar com a obra.

PUB

Um vídeo a que o JN teve acesso mostra os lençóis encharcados colocados no chão e caixotes do lixo em cima dos cacifos para apanhar a água que escorre das claraboias. Foi nessas condições que mais de cem enfermeiros do Serviço de Urgência tiveram, anteontem, de trocar de roupa, antes e depois de efetuar o seu turno.

Uma enfermeira contactada pelo JN refere que "a situação não é de anteontem" e que se verifica "há mais de cinco anos". "Nem sempre com aquela intensidade, mas sempre que chove há água a correr naquele espaço", assegura. A mesma fonte, acrescenta, sob anonimato, que, "todos os anos, há baldes do lixo em cima dos cacifos" para apanhar o máximo de água possível". Mas, mesmo assim, também "são colocados lençóis e, quando há, cobertores, no chão" para absorver a humidade que escorre das claraboias e se acumula nos corredores por onde os enfermeiros passam para alcançar os seus cacifos.

Novos balneários a construir

A Secção Regional do Norte da Ordem dos Enfermeiros confirma que recebeu uma denúncia relativamente às infiltrações no vestiário do Hospital Santo António e declara que já solicitou uma reunião com a administração do Centro Hospitalar Universitário do Porto. O intuito é perceber a real dimensão do problema.

"Os vestiários dos enfermeiros do Serviço de Urgência, embora localizados na parte nova do Hospital de Santo António, têm ocasionalmente problemas estruturais de infiltrações de água nas claraboias de iluminação. Desta vez, houve entupimento e rutura de uma conduta, associada à bem conhecida infestação de gaivotas urbanas que tem atingido esta zona da cidade (lacerações, ninhos e outros danos)", justifica o Centro Hospitalar.

A administração do Hospital Santo António revela, igualmente, que "encomendou um projeto de conceção de novos vestiários e balneários, localizados numa grande área subjacente à nova Unidade Médica de Curta Duração". "A obra foi posta a concurso e adjudicada, mas o empreiteiro desistiu. Está a decorrer um novo concurso", conclui.

Duas casas de banho

Os problemas no vestiário dos enfermeiros do Serviço de Urgência do Hospital Santo António não se limitam às infiltrações. A enfermeira ouvida pelo JN denuncia, ainda, a existência de apenas duas casas de banho para todos os profissionais.

Cinco chuveiros

Os mais de cem enfermeiros também só têm disponíveis cinco chuveiros para que possam tomar banho após um dia de trabalho. Apesar de diminuto, o número de chuveiros foi aumentado durante a primeira vaga da pandemia da covid-19.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG