Porto

Estudantes levam apoio e conforto a quem precisa

Estudantes levam apoio e conforto a quem precisa

IMPAC"TU conta com 25 voluntários que ajudam a população carenciada da cidade em várias vertentes.

António Garcia, de 77 anos, vive na Rua da Torrinha, no Porto, e está impedido de sair de casa. Desloca-se numa cadeira de rodas, na sequência da amputação de parte da perna esquerda, mas viu-se confrontado com a retirada da rampa das escadas que lhe permitia o acesso ao exterior. "A única coisa que pedia era que voltassem a colocar uma rampa", lamenta. Enquanto espera por uma solução para o problema, tem acompanhamento social de estudantes voluntários da IMPAC'TU, associação juvenil com sede na Praça de Carlos Alberto.

"Estou sozinho e não posso sair daqui. São a minha única companhia. Conversam comigo durante uma hora", conta. A associação, que ainda presta ajuda a nível da habitação, com a colaboração de estudantes de arquitetura, tem como objetivo acompanhar pessoas carenciadas.

"O nosso grande lema é criar impacto pessoal e social ", explica Filipe Ribeiro, estudante na Faculdade de Direito do Porto e presidente da instituição. Ali, a população também pode usufruir de apoio jurídico: "Trabalhamos com uma sociedade de advogados, uma vez que nós, enquanto estudantes de Direito, não podemos exercer", explica.

Outros casos

D. Matilde vive sozinha na Rua do Almada, no Porto. Tem 91 anos, a mobilidade é reduzida e a solidão é combatida com a ajuda dos jovens. "A falta de companhia é uma situação muito recorrente nos casos que nos chegam. Quando os levamos a passear, é uma alegria muito grande", assinalou Fernando Vilas Boas, voluntário no departamento de ação social da IMPAC'TU.

O caso foi mencionado à associação pela psicóloga da União de Freguesias do Centro Histórico, após ter sido enviado pelas assistentes sociais da Santa Casa da Misericórdia. "Contamos com o apoio da União de Freguesias do Centro Histórico do Porto, uma das nossas parceiras e com quem temos um protocolo", esclareceu o presidente.