CP

Greve suprimiu 70% dos comboios programados no Porto

Greve suprimiu 70% dos comboios programados no Porto

A greve parcial convocada pelo Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) suprimiu, até às 10 horas, cerca de 70% dos comboios programados, segundo a CP - Comboios de Portugal, números entretanto contestados pelo sindicato.

"Foram suprimidos 61 comboios, 70% dos comboios programados, que eram 87", indicou à Lusa fonte da CP - Comboios de Portugal, referindo-se ao período entre a meia-noite e as 10 horas.

Contactado pela Lusa, o dirigente do Sindicato Ferroviário da Revisão Comercial Itinerante (SFRCI) no Porto, António Lemos, contestou os números avançados pela transportadora, considerando que "não faz sentido" ir buscar números desde a meia-noite de hoje".

"A greve começou às 5 horas, e comboios até às 5 horas, aqueles que são da noite, efetuaram-se e não faziam parte da greve", disse à Lusa.

O sindicalista adiantou ainda que após as 8.30 horas, hora do fim da paralisação, o serviço já estava a ser retomado gradualmente, mas ainda sem a regularidade prevista nos horários, "por causa da recolocação dos trabalhadores" para efetuarem os comboios.

Na sexta-feira, a CP alertou para possíveis perturbações nos urbanos do Porto na manhã de hoje, devido a uma greve parcial sem serviços mínimos, de acordo com um comunicado.

O SFRCI anunciou na quinta-feira duas novas greves parciais nas zonas urbanas de Porto e Lisboa neste mês, reivindicando melhorias salariais.

PUB

A greve parcial na zona urbana do Porto decorreu esta segunda-feira entre as 5 horas e as 8.30 horas, enquanto a da zona urbana de Lisboa está prevista para o dia 27, entre as 17 horas e as 21 horas, foi anunciado pela direção do sindicato, em comunicado.

O sindicato, que na CP representa a maioria dos trabalhadores do serviço comercial e transporte (revisores, trabalhadores das bilheteiras e as suas chefias diretas), considerou que o aumento de 0,9% da tabela salarial não é "um valor aceitável" face a contínua perda de poder de compra, "algo que já acontece desde 2019".

Os trabalhadores da CP fizeram em 16 de maio uma greve de 24 horas, para reivindicar aumentos salariais de 90 euros para todos os trabalhadores.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG