Infraestrutura

Há 27 desenhos para nova ponte do metro sobre o Douro

Há 27 desenhos para nova ponte do metro sobre o Douro

Propostas "de todos os cantos do mundo" no concurso público internacional para a conceção da nova travessia. Vencedor será conhecido até ao final do ano.

Há 27 desenhos a competir pela conceção da nova ponte de metro sobre o Douro. Trata-se da sétima travessia sobre o rio, fundamental para o avanço da segunda linha de Gaia. Os projetos do concurso público internacional têm assinaturas "de todos os cantos do mundo", informa a Metro do Porto, e seguem agora para avaliação do júri, a quem caberá escolher os três melhores.

O vencedor deverá ser anunciado até ao final do ano, após apreciação técnica, estética e económica de cada uma das propostas.

A sétima travessia a ligar o Porto e Gaia, com um custo de 50 milhões de euros, não terá pilares no rio (apenas nas margens) e será construída a uma cota mais alta relativamente à vizinha Arrábida. Aliás, o ministro do Ambiente, Matos Fernandes, tinha já garantido que a ponte não poderia fazer "sombra" ao arco da obra do engenheiro Edgar Cardoso. Assim, ficará um metro acima da cota da atual Ponte da Arrábida.

"Uma travessia que ine duas fragas do Douro, num local excecional, entre uma ponte de Edgar Cardoso e uma ponte da escola de Eiffel não pode ser uma ponte qualquer", justificou ao JN, na altura do lançamento do procedimento.

Passeios e ciclovia

Financiada pelo Plano de Recuperação e Resiliência (PRR), a nova ponte, que servirá apenas o metro, com passeios e ciclovia para peões e bicicletas, ligará o Campo Alegre, no Porto, ao Candal, em Gaia.

PUB

O local de implantação dista 500 metros da margem da Invicta. A partir de Gaia, fica a 350 metros. A inscrição no PRR obriga a que a segunda linha de Gaia, que inclui a nova travessia e cujo investimento global é de 299 milhões de euros, comece a ser construída em 2023, para que esteja concluída até final de 2025.

O trajeto, com uma extensão de seis quilómetros, ligará a Casa da Música, no Porto, a Santo Ovídio em Gaia. Serão construídas seis novas estações: Campo Alegre, Arrábida, Candal, Rotunda VL8, Devesas e Soares dos Reis. Todas as estações serão subterrâneas, à exceção do Candal e da VL8.

Prevê-se que o segundo traçado entre o Porto e Gaia descongestione a Linha Amarela, a mais utilizada da rede atual.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG