Mobilidade

Ideias para nova ponte de metro sobre o Douro em concurso este mês

Ideias para nova ponte de metro sobre o Douro em concurso este mês

O concurso de ideias para a nova ponte sobre o Douro que servirá exclusivamente o metro do Porto, numa futura segunda linha entre o Porto e Gaia, será lançado ainda este mês, revelou o ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes.

Perante o local onde nascerá a infraestrutura, entre a Ponte da Arrábida e a Ponte Luís I, "não pode ser um projetista qualquer" a ficar responsável pelo projeto, clarificou Matos Fernandes. Por isso, o governante revelou que o concurso de ideias será lançado a nível internacional, para que os "melhores engenheiros" possam concorrer. O procedimento "estava pronto para ser lançado já há alguns dias". Não o foi, explicou o ministro do Ambiente, porque ainda não tinham sido emitidos os vistos prévios do Tribunal de Contas sobre os contratos de execução da nova Linha Rosa e do prolongamento da Linha Amarela.

"Não quisemos lançar o concurso sem fazer a consignação das outras duas obras", esclareceu. A Metro do Porto recebeu a luz verde esta quarta-feira.

O anúncio foi feito pelo governante durante a segunda sessão do "Ciclo de Conferências "Pensar a Cidade" | Transportes e Mobilidade no Porto: Que Futuro?", transmitida em direto no Facebook do PS Porto.

No que toca às obras dos dois novos trajetos do metro do Porto, Matos Fernandes assegura que "vão mesmo começar este mês". "Temos tudo preparado para as novas linhas, com a nova ponte [de metro] e outra linha de BRT (Bus Rapid Transit, vulgo metrobus)", acrescentou o governante. Este segundo trajeto será realizado numa via dedicada, no Porto, que ligará a rotunda da Boavista à Marechal Gomes da Costa, também "com emissões zero".

A nova ponte sobre o Douro servirá uma segunda linha de metro entre o Porto e Gaia, num trajeto entre a Casa da Música, no Porto, e Santo Ovídio, em Gaia. Neste sentido, a infraestrutura nascerá, do lado do Porto, junto à Faculdade de Letras da Universidade do Porto e, do lado de Gaia, a caminho do Arrábida Shopping. Será "uma ponte só para o metro, com ciclovia e passeio".

PUB

Matos Fernandes recorda ainda a aquisição de 18 novas composições para o metro do Porto, que "vão funcionar no dia em que as obras [da Linha Rosa e do prolongamento da Linha Amarela] estejam prontas".

Chegar a 2050 com "zero emissões"

No que toca à utilização do transporte público, o governante lamentou a pandemia, garantindo que, se a situação não tivesse surgido, "tinha sido um ano glorioso". Isto porque, acrescenta Matos Fernandes, "só em janeiro de 2020, houve um aumento de 20% de passageiros" a circular no metro do Porto. Aliás, nos últimos cinco anos, tanto a Metro como a STCP registaram aumentos significativos no que toca à afluência de passageiros.

"Temos de chegar ao ano de 2050 com zero emissões", assevera o ministro do Ambiente, garantindo que a aposta futura deverá ser em "mobilidade elétrica". E para 2030, acrescenta Matos Fernandes, "80% da eletricidade que consumimos, será vinda de fontes de energia renováveis". O governante deixou transparecer ainda que a aposta portuguesa no que toca às energias verdes, passará pelo hidrogénio verde.

Mais Notícias

Outros Conteúdos GMG