Porto

Interdição na Foz do Douro reforçada este domingo

Interdição na Foz do Douro reforçada este domingo

A circulação de automóveis e peões esteve cortada este sábado entre a Praça de Gonçalves Zarco (castelo do Queijo) e a zona dos pilotos, já a tocar a Cantareira, com garantia de acesso condicionado aos moradores. Este domingo sucede o mesmo, num período ainda mais longo: das 18 horas até às seis da manhã, ou seja, mais cinco horas de interdição.

Em relação ao sucedido no mês passado, quando uma onda de invulgares dimensões galgou terreno nas imediações do forte de S. João Batista, notava-se este sábado um aparato preventivo muito maior.

Como habitualmente, e contrariando os apelos, houve este sábado à tarde um forte afluxo de gente à zona da Foz, mas o período crítico era apenas à noite, com o pico da preia-mar às 22.43, e a romaria desmobilizou muito antes disso.

Comparativamente com o que houve em janeiro, explicou ao JN Rebelo de Carvalho, comandante operacional da proteção civil municipal, o alargamento do perímetro de segurança prende-se com as previsões relativas à ondulação marítima: hoje, por exemplo, esperam-se ondas de nove a dez metros, sendo de notar, porém, que o fenómeno de janeiro ocorreu, igualmente, devido ao facto de haver ondas de período invulgarmente longo, o que as faz galgar a costa após a rebentação.

O dispositivo montado no local envolvia cerca de cem elementos no terreno, da Polícia Municipal, da PSP, das direções municipais de Gestão da Via Pública e de Proteção Civil, Ambiente e Serviços Urbanos, bem como da Polícia Marítima.