Porto

Arroja devolve terrenos da nova ala pediátrica ao S. João

Arroja devolve terrenos da nova ala pediátrica ao S. João

A associação humanitária "Um Lugar para o Joãozinho" vai devolver ao Hospital de S. João os terrenos onde começaram as obras de construção da nova ala pediátrica.

A devolução inclui os trabalhos já executados no terreno, informa Pedro Arroja, presidente da associação, numa carta enviada ao Hospital S. João.

Começando por lembrar que a associação aguarda "há mais de três anos" pelo cumprimento da primeira cláusula do Acordo de Cooperação, que dita a cedência do espaço, Pedro Arroja afirma, na carta enviada à Administração do Hospital São João, que a nova ala pediátrica "já poderia estar concluída e paga" pela associação humanitária, "não fossem os impedimentos colocados pela administração" daquele centro hospitalar.

Para Pedro Arroja, "o bem maior é o bem-estar das crianças". Daí, a urgência de "as livrar das condições miseráveis e indignas em que se encontram internadas". Palavras que o presidente atribui, aliás, a "um ex-presidente do CHSJ".

Garantindo que a associação não quer ser "um impedimento para que o Governo e a Administração do CHSJ realizem a obra que prometeram iniciar a partir do final deste mês de abril",Pedro Arroja espera que esta decisão se traduza num "caminho aberto" para a concretização da obra. Sendo que, segundo o presidente, "todos os trabalhos de construção já realizados" pela associação, "que se encontram integralmente pagos, são doados" àquele Centro Hospitalar.

Contactado pelo JN, o professor Pedro Arroja disse que "em nome das crianças, a Associação abandona completamente a obra". Uma construção que, reitera, "o Governo sempre obstaculizou".