Premium

Das três torres do Aleixo já só restam uma e meia

Das três torres do Aleixo já só restam uma e meia

Demolição pode acabar antes do prazo inicialmente previsto, que era finais de novembro. Projeto de habitação para o local deve ser revisto.

Da Torre 1 só restam escombros. A Torre 2 está reduzida a metade. A Torre 3 terá o mesmo destino: vai abaixo. Os trabalhos de demolição do Bairro do Aleixo, no Porto, poderão ficar concluídos antes de finais de novembro, prazo definido inicialmente pela FundBox, a entidade gestora do Invesurb, o Fundo Especial de Investimento Imobiliário Fechado. Quem por ali mora e durante anos conviveu de perto com os graves problemas sociais do bairro está agora expectante relativamente ao futuro projeto imobiliário a nascer naqueles terrenos, que contemplará habitação para famílias das classes média e alta.

O projeto inicial, da autoria de José António Barbosa, do ateliê Barbosa & Guimarães Arquitectos, previa sete blocos com quatro a cinco pisos e um total de 100 apartamentos. O plano nunca chegou a dar entrada na Câmara para aprovação e, agora, é previsível que possa sofrer algumas alterações.