Porto

Escola Ramalho Ortigão recebe alunos da "Alexandre Herculano"

Escola Ramalho Ortigão recebe alunos da "Alexandre Herculano"

Cerca de 300 alunos do 7.º e 8.º anos da Escola Alexandre Herculano, no Porto, foram transferidos, esta quarta-feira, para a Escola Ramalho Ortigão.

Em declarações à Lusa, o diretor da Escola Alexandre Herculano, Manuel Lima, garantiu que a Ramalho Ortigão, uma escola do mesmo agrupamento que fica a cerca de um quilómetro de distância, reúne todas as condições para acolher os alunos, na medida em que estes são acompanhados dos professores e pessoal auxiliar. Segundo afirmou, a escola tem as condições físicas necessárias ao nível das salas, ginásio e cantina.

Ainda de acordo com Manuel Lima, cerca de 600 estudantes permanecem na Alexandre Herculano, mas em salas onde não chove e que reúnem todas as condições indispensáveis para que as aulas decorram com normalidade.

Desde que encerrou, a escola tem sido alvo de algumas obras mais urgentes, embora Manuel Lima desconheça o calendário para a realização dos trabalhos maiores de reabilitação do edifício. "Isso só o Ministério da Educação poderá revelar", disse o responsável.

A falta de condições na Alexandre Herculano - projetada pelo arquiteto Marques da Silva (1869 -1947), autor da estação ferroviária de São Bento e da Casa de Serralves, e classificada como imóvel de interesse público -, obrigou ao seu encerramento na quinta-feira.

A decisão foi tomada pelo diretor da escola, Manuel Lima, face às más condições em que se encontram alguns espaços do edifício.

Na sexta-feira, após uma reunião com a Direção-Geral dos Estabelecimentos Escolares, a direção do estabelecimento anunciou que foi decidido deslocar os estudantes dos 7.º e 8.º anos de escolaridade para a Escola Ramalho Ortigão.

Quanto aos alunos dos restantes graus de ensino - entre o 9.º e o 12.º ano, bem como período noturno -, estão a regressar à Alexandre Herculano faseadamente, depois de, também na sexta-feira, a secretária de Estado da Educação, Alexandra Leitão, ter visitado o equipamento escolar e anunciado "obras urgentes".

A governante também referiu que só a autarquia tem acesso aos seis milhões de euros inscritos nos fundos do programa 2020 que podem servir para as obras de requalificação da Escola Alexandre Herculano.

Terça-feira, em reunião do executivo, o presidente da Câmara do Porto, Rui Moreira, revelou ter alertado o Governo há quase um ano para o facto de não ter assinado compromissos sobre a reabilitação da Alexandre Herculano, no âmbito de fundos do Portugal 2020, e criticou o facto de não ser feita qualquer manutenção no edifício há anos.

ver mais vídeos