Porto

Falta de mobiliário impede associação de solidariedade de ocupar nova casa

Falta de mobiliário impede associação de solidariedade de ocupar nova casa

A Ajudaris - Associação de Solidariedade Social do Porto tem desde julho novas instalações, cedidas pela autarquia, mas ainda não as consegue utilizar por falta de mobiliário, apesar dos apelos para que a ajudem a resolver o problema.

Em declarações à agência Lusa, a diretora da instituição, Rosa Vilas Boas, disse que, devido à incapacidade de conseguir equipar as seis salas da antiga escola primária situada na freguesia de Paranhos, "foi ultrapassado o prazo dado pela autarquia" para ocupar o espaço.

"Tínhamos até outubro para o fazer, mas, como a câmara é um parceiro solidário da Ajudaris, tenho a certeza que não vai criar problemas à nossa continuidade", disse a responsável, lembrando que o espaço foi cedido pelo prazo de dois anos.

A Ajudaris presta apoio a crianças, jovens e idosos, estando um "alargar de horizontes comprometido devido à falta de estantes, cadeiras e secretárias", relatou a diretora.

Os contactos têm-se dirigido a "empresas de mobiliário, de tintas e de jardinagem" para um projeto em que a Ajudaris quer envolver a comunidade, disse Rosa Vilas Boas, que admite sentir-se "pressionada" pelo facto de as "pessoas que precisam da ajuda da associação estarem sempre a perguntar quando é que mudam" de uma casa antiga na Praça da Alegria, na zona das Fontainhas, para a antiga escola de Paranhos.

Instituição Particular de Solidariedade Social, a Ajudaris "não recebe fundos" do Estado e tem como fonte de financiamento o projeto "Histórias da Ajudaris", que se traduz na produção de livros a partir de temas propostos que propõe a escolas e que conta com a colaboração de seis centenas destes estabelecimentos de ensino.

"Lançámos recentemente o livro de 2017, que é sobre a família, podendo ser adquiridos numa cadeia comercial, nos nossos parceiros solidários ou através da nossa loja 'online'", esclareceu Rosa Vilas Boas.