Património

Livraria Lello compra Teatro Sá da Bandeira por 3,5 milhões de euros

Livraria Lello compra Teatro Sá da Bandeira por 3,5 milhões de euros

O Teatro Sá da Bandeira, no Porto, foi comprado esta quinta-feira por 3,5 milhões de euros pela Livraria Lello, loja situada na Rua das Carmelitas, no Porto. A venda em hasta pública foi aprovada pela Câmara do Porto a 26 de março.

O valor base de licitação eram 2,19 milhões de euros e foi disputado com António Oliveira, antigo jogador de futebol e selecionador nacional, e proprietário da Brasileira, em frente ao Teatro Sá da Bandeira, que não foi além dos 3,2 milhões de euros.

Um processo de classificação desencadeado pela Câmara do Porto junto da Direção-Geral do Património Cultural atribuiu ao imóvel a distinção de Entidade de Interesse Histórico e Cultural ou Social Local, condições que obrigam a que o Teatro Sá da Bandeira seja usado exclusivamente como sala de espetáculos. "Garantimos a salvaguarda patrimonial de um equipamento que para nós tem muito interesse histórico e cultural, mas que não tem de ser da Câmara do Porto", afirmou Rui Moreira em declarações ao JN em finais de março.

A Câmara do Porto considera que, ao tomar esta decisão, atua conforme o previsto na lei no que diz respeito ao exercício do direito de preferência. "Não é nossa vocação ser barriga de aluguer do teatro comercial", referiu Rui Moreira.

O processo de classificação do Teatro Sá da Bandeira foi publicado em Diário da República dia 2 de maio e determinou a proteção do imóvel e a criação de uma zona geral de proteção nos 50 metros em seu redor.

O mérito da aquisição revela-se na ausência de qualquer prejuízo para proprietários ou inquilinos, mantendo-se em vigor e com todos os direitos inerentes, os contratos de arrendamento que ali existiam.

A centenária Livraria Lello, situada na Rua das Carmelitas, no Porto, teve, até 2015, entrada gratuita. A partir dessa altura, começaram a ser vendidos bilhetes de três euros para visitar a loja, representando uma média de 10 mil euros de receita por dia. Atualmente, a entrada custa cinco euros por pessoa e esse valor é descontado na compra de um livro - medida aplicada desde o início.

Em 2016, a livraria adquiriu os Armazéns do Castelo, ao lado da loja, e renovou o espaço. Além da venda de produtos feitos em Portugal, os armazéns têm também lugar para exposições.