Óbito

Marcelo sublinha contributo de Aureliano Veloso para afirmação do poder local

Marcelo sublinha contributo de Aureliano Veloso para afirmação do poder local

O Presidente da República lamentou, esta quinta-feira, a morte de Aureliano Veloso, o primeiro presidente da Câmara do Porto democraticamente eleito, sublinhando a sua dedicação à causa pública e o seu "contributo decisivo" para a afirmação do poder local.

"Figura destacada na vida cívica e política do Norte do país, Aureliano Veloso deu um contributo decisivo para a afirmação e consolidação do nosso poder local", refere Marcelo Rebelo de Sousa, numa nota publicada na página eletrónica oficial da Presidência da República.

Destacando a sua "verticalidade de caráter" e as suas qualidades "pessoais e profissionais", Marcelo Rebelo de Sousa diz que Aureliano Veloso "será recordado como um democrata e como um homem de princípios e valores, e como um cidadão empenhado, de forma exemplar, no serviço à causa pública e ao bem comum".

Aureliano Veloso, que morreu na quarta-feira aos 95 anos e cujo funeral se realiza na tarde de hoje em Matosinhos, foi o primeiro presidente a ser eleito para a Câmara do Porto, como independente pelo Partido Socialista, após o 25 de Abril, tendo governado o concelho entre 1977 e 1979.

Nascido na freguesia de Folgosinho, em Gouveia, em 25 de fevereiro de 1924, Aureliano Capelo Pires Veloso, licenciou-se em Engenharia Químico-Industrial pela Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto em 1949.

Aureliano Veloso era pai do músico e cantor Rui Veloso e irmão de Pires Veloso, candidato à presidência da República em 1980 que ficou conhecido como o "vice-rei do Norte".

Em 2011, foi agraciado com a Medalha Municipal de Honra da cidade do Porto.