Porto

Moreira diz que acaba "maledicência" no caso Selminho

Moreira diz que acaba "maledicência" no caso Selminho

Rui Moreira afirmou, esta sexta-feira, não ter qualquer "sentimento contraditório" perante a decisão judicial favorável à Câmara do Porto no caso Selminho e referiu que finalmente deixa de haver "um ambiente de maledicência na cidade".

"Como sempre disse, a Câmara Municipal do Porto, seja qual for a situação, defende sempre - enquanto eu for presidente - os seus interesses, defende sempre o interesse dos seus munícipes e, portanto, fez aquilo que devia fazer", reagiu o presidente da Autarquia, Rui Moreira.

Segundo avançou esta sexta-feira o JN, o Tribunal Judicial do Porto deu razão à Câmara no processo contra a Sociedade Imobiliária Selminho, pertencente à família do autarca Rui Moreira. O juiz declarou, por exemplo, nula a escritura de usucapião feita em Montalegre pelo casal que posteriormente veio a vender o terreno à Selminho,

Questionado sobre o que vai agora acontecer e sobre o que fará especificamente a Câmara, Rui Moreira afirmou, à margem da inauguração de um parque canino, não fazer "a mais vaga ideia", explicando ter tido apenas conhecimento da notícia um quarto de hora antes.

"Da minha parte não há nenhum sentimento contraditório", assegurou depois. Questionado sobre se está satisfeito com a decisão, respondeu que sim. "Estou. Principalmente era importante que houvesse uma decisão para que, finalmente, deixasse de haver este ambiente de maledicência na cidade em que parecia que havia aqui um conflito que nunca existiu. Herdei esta situação e, enquanto presidente, tenho a certeza que zelei pelo interesse dos munícipes", insistiu.