Porto

Pinto da Costa revoltado pelo "Joãozinho"

Pinto da Costa revoltado pelo "Joãozinho"

Dirigente do F. C. Porto pergunta como podem os governantes dormir de "consciência tranquila".

"Gostava de saber se alguém tem um motivo para não se associar a este manifesto". A expressão é de Pinto da Costa e foi deixada, quarta-feira, à margem da divulgação de um abaixo-assinado em defesa da construção da nova ala pediátrica do Hospital de S. João, de que é subscritor. O dirigente do F. C. Porto perguntou como podem os governantes dormir de "consciência tranquila" quando há crianças doentes "instaladas em contentores".

Referindo estar "nesta causa" há alguns anos, tal como o clube a que preside, Pinto da Costa confessou o seu "sentimento de revolta". E acrescentou: "O dinheiro é preciso para os bancos, é preciso para as empresas falidas, é preciso para dar cobertura a muita vigarice. Agora, para o pavilhão do Joãozinho, não há dinheiro".

Na apresentação, que decorreu na Associação de Jornalistas e Homens de Letras do Porto, esteve também o presidente do Conselho de Administração do Hospital de São João, António Oliveira e Silva. Igualmente subscritor, preferiu não prestar declarações.

Segundo Júlio Roldão, um dos promotores da iniciativa, pretende-se mostrar ao Governo, ao Parlamento e à Presidência da República a "indignação dos cidadãos" pelo facto de uma obra "prometida por toda a gente continuar a marcar passo".

ver mais vídeos