Ponte

Ponte Luiz I terá passeios por fora do tabuleiro inferior

Ponte Luiz I terá passeios por fora do tabuleiro inferior

O vereador do Urbanismo da Câmara do Porto revelou esta terça-feira existir um acordo com Gaia e com a Infraestruturas de Portugal para construir dois passeios de dois metros do lado de fora do tabuleiro inferior da ponte Luiz I.

"Queremos avançar com o projeto mal se possa, eventualmente até ao fim de julho. Há um acordo entre os dois presidentes [do Porto e de Gaia] para uma apresentação conjunta à Estradas de Portugal (EP)/REFER [atual Infraestruturas de Portugal] para integrar estes passeios na empreitada de 500 mil euros já prevista. Temos já o entendimento prévio da EP/REFER", afirmou Manuel Correia Fernandes.

Em declarações aos jornalistas no fim de uma reunião camarária pública, o vereador do PS admitiu existirem "outras fontes de financiamento" e disse ser possível um eventual "reforço dos municípios" relativamente aos 500 mil euros aprovados no início de 2014 pela EP para recuperar o tabuleiro inferior daquela travessia.

"Do nosso ponto de vista, os 500 mil euros chegam. Se não chegarem, há sempre outras fontes de financiamento. Estamos a concluir o estudo para saber se a verba chega. Se não chegar, existe sempre a possibilidade de os municípios fazerem um reforço, independentemente da tutela da ponte ser da EP/REFER", afirmou o socialista.

Correia Fernandes notou que o acrescento de "cerca de dois metros" de cada um dos lados do tabuleiro inferior lhe vai dar a mesma largura do tabuleiro superior, onde circula o Metro do Porto e onde foi feito o mesmo alargamento para a circulação de peões.

De acordo com o vereador, não seria possível fazer grandes intervenções nas guardas de proteção dos atuais passeios, com cerca de meio metro cada um, porque as mesmas "são vigas da ponte".

Para além disso, notou, debaixo dos passeios existentes estão colocadas tubagens que seria difícil desviar.

A intenção é, por isso, manter o atual meio metro de passeio de cada lado como "zonas de proteção funcional", ao mesmo tempo que o acrescento de dois metros para a nova passagem pedonal terá "novas guardas" e uma "proteção superior para evitar a queda de objetos vindos da parte de cima".

As explicações de Manuel Correia Fernandes surgiram a propósito de questões colocadas pelo vereador social-democrata Amorim Pereira relativamente a novas travessias sobre o Douro no âmbito da proposta de protocolo de "cooperação na reabilitação urbana e salvaguarda do centro histórico" comum às duas cidades, aprovado por unanimidade.

Fonte da EP revelou a 20 de março à Lusa que a instituição já tinha dado início aos procedimentos necessários para avançar com a obra, estimada em 500 mil euros, de recuperação do tabuleiro inferior da ponte Luiz I, entre Porto e Gaia, citando a "reparação dos passeios, dos guarda corpos, juntas de dilatação e sistema de drenagem e do pavimento da via", bem como "intervenções de reparação, tratamento e proteção" da travessia.

A 06 de fevereiro, os autarcas do Porto e de Gaia recusaram apoiar financeiramente a reabilitação do tabuleiro inferior da ponte Luiz I, sustentando que a responsabilidade é das EP.

O presidente da Câmara de Gaia, Eduardo Vítor, revelou a 22 de junho o interesse em incluir no concurso da Estradas de Portugal uma travessia pedonal exterior no tabuleiro inferior da ponte Luiz I como forma de melhorar a mobilidade entre os dois concelhos.