Porto

PS abandona Comissão da Arrábida após divulgação de relatório

PS abandona Comissão da Arrábida após divulgação de relatório

Pedro Braga Carvalho, relator e representante do Partido Socialista na Comissão de Inquérito da Arrábida, abandonou segunda-feira à noite os trabalhos, alegando "condicionamento e parcialidade". O movimento de Rui Moreira acusa PS de tentar "chapelada com falso relatório final".

"O Grupo Municipal de Rui Moreira usou a posição maioritária que detém na Comissão Eventual de Inquérito ao processo da Arrábida para se recusar a discutir o relatório proposto pelo relator, o socialista Pedro Braga de Carvalho", explicam os socialistas em comunicado, segundo o qual o Movimento "propôs a destituição do relator, atitude inédita de intolerância e perseguição política".

"Perante a recusa do Grupo Municipal de Rui Moreira em debater ou sequer votar o relatório e face à proposta ultrajante de demissão do relator, com aprovação garantida graças à maioria absoluta de Rui Moreira, o Partido Socialista abandonou os trabalhos da Comissão", acrescentam os socialistas, que deixam a Comissão depois de os sociais-democratas já terem saído.

"O representante socialista decidiu abandonar os trabalhos, juntando-se ao PSD e confirmando o ensaio de "bloco central" que está em curso no Porto e que Rui Moreira denunciou na noite eleitoral", estabelece a Associação Cívica Porto, o Nosso Movimento, também em comunicado, que apela "a que o 'centrão', instalado nos dois maiores partidos portugueses, abandone a demagogia e a mentira e não tente obstaculizar os trabalhos da comissão".

"Pedro Braga de Carvalho tentou fazer passar como 'final' um relatório cujas conclusões só ele apurou e que não tinham o acordo de nenhum dos membros da Comissão. A 'chapelada' foi desmascarada e o deputado desertou", escreve o Movimento de apoio a Rui Moreira.

O PS sublinha que "o relatório produzido é um documento sério e rigoroso, que espelha de forma objetiva e factual as conclusões dos trabalhos desenvolvidos ao longo das últimas semanas nesta Comissão, após audição de 11 personalidades e de uma análise crítica a centenas de documentos".

"Rui Moreira poderia, se fosse capaz, propor alternativas, mas não o fez. Não aceitar sequer debater o relatório revela insegurança e ausência grave de espírito democrático numa questão que é demasiado séria para ser tratada como um lamentável jogo político", consideram os socialistas.

"O PS recusa o fundamento invocado pelo Grupo Municipal de Rui Moreira, que imputa responsabilidades pelo facto de a imprensa ter tido acesso a este documento", lê-se no comunicado do PS, que considera esse "apenas um pretexto para fugir ao debate suscitado por um documento cujas conclusões, ao que parece, causam grave incómodo ao presidente da Câmara".

Ontem, no final da reunião da Comissão de Inquérito à Arrábida terá ficado em aberto o prolongamento dos trabalhos, previstos para acabarem esta terça-feira.

ver mais vídeos