Porto

PS critica relatório da comissão e "branqueamento" na Arrábida

PS critica relatório da comissão e "branqueamento" na Arrábida

Os eleitos do PS na Assembleia Municipal do Porto afirmaram, esta quarta-feira, não se rever no relatório da comissão de inquérito às construções na Arrábida que, conforme adiantou o JN na terça-feira, conclui não haver ilegalidade no projeto urbanístico. Acusam os independentes de "branqueamento" e dizem haver "ilegalidades" sem consequência.

"Este é um relatório que, sem surpresa, foi em boa parte copiado daquele que foi elaborado por Pedro Braga de Carvalho e só demonstra que Rui Moreira tentou transformar a comissão eventual de inquérito numa comissão de branqueamento permanente", referem os eleitos socialistas numa posição enviada ao JN.

Além disso, "do relatório inicial que foi apresentado à comissão e que a maioria impediu de discutir e votar foram retirados ou alterados aspetos essenciais, existindo interpretações dos factos à medida dos interesses da maioria que governa a Câmara", criticam ainda.

"Novas diligências"

Com este relatório, diz o PS, "há ilegalidades de que não se retiram consequências. Numa área prevista do Plano Diretor Municipal como zona verde, este relatório pretende legalizar um edifício com 25.324 metros quadrados".

Os autarcas socialistas dizem também "lamentar que Rui Moreira tenha escolhido defender interesses imobiliários privados em vez de defender o interesse da cidade". Por isso, "o PS não se reconhece nas conclusões da comissão e vai desenvolver novas diligências para impedir esta obra e esclarecer tudo o que agora foi ocultado.