Porto

PSD critica "manipulação" sobre Arrábida e movimento ataca "baixa política"

PSD critica "manipulação" sobre Arrábida e movimento ataca "baixa política"

O PSD reagiu esta quarta-feira ao relatório final da comissão de inquérito às construções na Arrábida, no Porto, falando de "manipulação" e lamentando que tenha ficado de fora a titularidade dos terrenos. Já o movimento de Rui Moreira lamenta os "truques de baixa política" que diz terem marcado este processo.

Mariana Macedo, deputada municipal do PSD, comentou o relatório aprovado pela comissão eventual, nomeadamente pelos independentes, pela CDU e pelo PAN que, conforme adiantou o JN terça-feira à noite, conclui não haver ilegalidade no projeto urbanístico.

"Vem confirmar o motivo pelo qual o PSD resolveu sair da comissão", referiu a deputada do PSD, que foi a primeira a abandonar os trabalhos da estrutura municipal. Afirma que este processo ficou marcado por "uma manipulação constante dos trabalhos" de modo a "conseguir ter uma conclusão à medida do movimento de Rui Moreira".

Embora admita rever-se na conclusão de que não houve ilegalidade, diz que esta posição tem a ver com o âmbito da comissão que, a seu ver, deveria ter sido alargado. A haver ilegalidade, afirma Mariana Macedo, será no âmbito da titularidade dos terrenos que quer ver esclarecida e que, lamenta a deputada, independentes e CDU "recusaram analisar" na comissão.

Movimento diz que travou mentiras

Por sua vez, o Movimento Rui Moreira: Porto, o Nosso Partido comentou o relatório recordando que foi quem "propôs à Assembleia Municipal a criação de uma comissão eventual para avaliar a matéria".

"Essa proposta, aprovada pela totalidade das forças políticas, representa o máximo respeito pelo órgão fiscalizador do Executivo que é a Assembleia Municipal. A sua criação teve, desde logo, a virtude de estancar a sucessão de mentiras, autos de fé e insultos que, sobre a matéria, foram sendo produzidos nas redes sociais e na comunicação social - usando-a - por parte de eleitos e supostos especialistas ao longo de meses", referem os independentes.

"Durante todo o tempo dos trabalhos, os eleitos independentes pela lista de Rui Moreira inibiram-se de qualquer comentário ou intervenção política acerca do assunto, mesmo que, por vezes, através da insistência na mentira e em truques de baixa política outros tivessem procurado envenenar a opinião pública. E mesmo que, por parte dos partidos que nos antecederam no governo da cidade, houvesse sempre a tentativa de reescrever a história que agora se está a deslindar", criticam ainda na sua reação. E insistem que "o movimento de Rui Moreira não deserta", referindo-se às saídas do PSD, do PS e do BE.

O PS já havia reagido ao JN esta quarta-feira, acusando os independentes de "branqueamento" e dizendo haver "ilegalidades" sem consequência.